Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Voltando à Igreja...

05.09.18 | asal

Continuando a reflectir sobre a situação da Igreja nos dias de hoje, trazemos para aqui mais outro texto que pode ajudar-nos a fundamentar mais a nossa opinião e postura pessoal. Também há quem ache que estes são os últimos dias da Igreja e que esta está mesmo condenada a desaparecer brevemente. Assim pensam os que obedecem a teorias maçónicas. Estão no seu direito, que não é, de modo nenhum, o pensar do verdadeiro cristão... AH

Tó Manel.jpg

 

ENCRUZILHADA 


A Igreja Católica Apostólica Romana encontra-se nos dias de hoje numa verdadeira encruzilhada da qual vai ser muito difícil sair. Verdade seja dita que ao longo da sua história bilenar, aqui refiro a Igreja no sentido mais amplo, não é qualquer novidade. 
Contudo, a situação actual é mais grave que a generalidade das crises que a têm assolado. Julgo não estar muito longe da verdade se ousar comparar a grandiosidade da crise actual com a que resultou, no século XVI, do movimento protestante vulgarmente conhecido por Reforma e a que a Igreja respondeu com o concílio de Trento e com a Reforma Católica/Contra-Reforma.
Hoje, para a Igreja Católica, o perigo não reside na criação de novas igrejas “protestantes”. O perigo actual é muito maior e reside no laicismo oficial das sociedades contemporâneas e no agnosticismo e ateísmo de um número crescente de indivíduos. O que só por si já seria um mal enorme, torna-se mais grave porque consegue argumentação eficaz nos desmandos cínicos e hipócritas de algum clero com responsabilidades hierárquicas. Tal como nos séculos anteriores à Reforma os abusos do clero eram evidentes e pouco combatidos. E deu no que deu!

Papa2.jpg

A Igreja tem uma dimensão humana que a torna vulnerável aos defeitos, imperfeições e abusos próprios da natureza dos homens, às lutas politicas pelo poder e aos mais variados interesses. O actual Papa, que goza de uma simpatia extraordinária dentro e fora da hierarquia eclesiástica pela simplicidade que evidencia e pela vontade de mudança que quer introduzir, não foge aos problemas mas parece estar a ser vítima de um ataque do grupo mais conservador da hierarquia da igreja católica.

Face a esta encruzilhada e à necessidade de mudança, parece-me que o caminho mais seguro a seguir seria a convocação de um novo Concílio que, após os debates convenientes, apontasse o caminho do futuro, fundamentasse e reforçasse a legitimidade das mudanças que parecem urgentes. 
Quanto a mim que retomasse, actualizasse e impusesse a pureza do VATICANO II muito mais que a ortodoxia de TRENTO…
Vales, 29/08/2018

António Manuel M. Silva

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.