Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Universidade Católica - elevador social

12.10.19 | asal

Católica quer ser “elevador social”, no apoio a alunos com “potencial”, diz reitora                                                                         Foto RR

Reitora-UCP_RR_ECCLESIA2-e1569867117297-300x158.jp

7Margens | 30 Set 19 | BrevesÚltimas

A reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Isabel Capeloa Gil, quer apostar “em quem nunca ninguém apostou” e proporcionar um “futuro diferente” a quem tem “mais potencial do que mérito”, afirmou numa entrevista conjunta à Ecclesia e Renascença. O sistema de acesso ao ensino superior “é equitativo, transparente, meritocrático” e também por essa razão “deixa muita gente de fora”.

Esse é o motivo que leva a UCP a apostar em alunos com “mais potencial do que mérito”. “É nossa responsabilidade demonstrar que a universidade pode ser um verdadeiro elevador social”, diz a reitora, acrescentando que o facto de a universidade ser “católica” não é apenas “um adjetivo simples”, mas “substantivado”, com consequências solidárias traduzidas “não só através das bolsas de apoio social”, mas também no estudo de “um programa piloto de responsabilidade social” que permita o acesso à universidade não só a partir das médias.

Católica lança programa para alunos de áreas deprimidas

7M/Agência Ecclesia | 11 Out 19 | BrevesÚltimas

A Universidade Católica Portuguesa (UCP) anunciou o lançamento do programa “Ser Capaz”, que tem o intuito de fazer o “diagnóstico e acompanhamento potencial” de alunos de “meios sociais de grande fragilidade”.

“Vamos trabalhar com as escolas secundárias em áreas deprimidas, diagnosticar um grupo de jovens, começar com 10. Vamos acompanhá-los no seu exercício de candidatura à universidade e vamos acompanhá-los dentro da universidade, queremos colocá-los nos cursos com mais prestígio”, afirmou Isabel Capeloa Gil, citada pela agência Ecclesia, no final da sessão de abertura do ano académico e de doutoramento honoris causa da pensadora Julia Kristeva, que decorreu na manhã de quinta-feira, 10 de Outubro.

A reitora da UCP explicou que a instituição tem acolhido os estudantes “com mais mérito” mas também tem de se focar nos alunos de “meios sociais de grande fragilidade”, que concluíram o ensino secundário mas “não anseiam mais”, porque “as condições em que a sua existência se desenvolve não o permite”.