Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

TRABALHO VOLUNTÁRIO

O João vai falar da sua vida nos tempos de agora, ele que ocupa o seu tempo no associativismo de Sacavém. AH 

 

O MEU TESTEMUNHO

João Antunes2.jpg

 

 

O sentimento cristão de ajudar o próximo é bom e necessário. Estamos a viver numa sociedade que cada vez é mais desigual no que toca à situação económica em que uns têm muito e outros têm quase nada.

Daí e perante o quadro que se apresenta, surgem ideias do trabalho voluntário em que cada um dá e ajuda o outro a diminuir as dificuldades sociais.

Os voluntários, que não dão somente o seu tempo e a sua generosidade, respondem ao apelo humano de diversas formas: ajudam, aliviam os sofrimentos, dividem alegrias e tristezas, mas tentam melhorar a qualidade de vida dos necessitados.

E, ao nos preocuparmos por estas causas de interesse social e comunitário, estamos a estabelecer laços de solidariedade e confiança que nos protegem nestes tempos difíceis.

A sociedade fica mais integrada e nós, seres humanos, tornamo-nos melhores!!

Estes batalhões de gente disposta a prestar serviço voluntário sem receber dinheiro, recebe outra compensação para si próprio, faz amigos, arranja experiências, diverte-se e auxilia o próximo.

Por isso, a luta contra a pobreza e a exclusão social é um dos grandes desafios dos anos mais próximos. E quantos mais participantes se envolverem maior será o sucesso.

Estas ações de voluntariado ganham mais sentido quando enquadradas numa organização coletiva, embora o voluntariado individual se manifeste entre pessoas bondosas e que se regem por impulsos de dedicação aos outros, quando têm disponibilidade.

Num sistema organizado, há necessidade de garantir que o voluntariado funciona e para tal exige-se:

- Que o voluntário, ao integrar-se na missão de uma organização, assuma as tarefas e os ritmos de horários;

- Que exerça as tarefas com competência e não apenas com boa vontade;

- Que se relacione com os outros membros da organização e não gere sistemas desgarrados.

Estes requisitos são fundamentais numa ação qualificada e eficaz na luta contra a pobreza e a exclusão social.

Estas ações muito necessárias nos tempos que correm devem envolver cada vez mais gente.

 

João Antunes