Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Recensão de livro

12.01.20 | asal

O "SEMINÁRIO MAIOR DE PORTALEGRE"

Tó Manel.jpg

Com o subtítulo sugestivo de “Milagre da Providência”, trata-se de uma obra publicada em finais de 2019 pelo Cónego BONIFÁCIO BERNARDO, Arquivista da Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

O autor, nascido a 06-11-1944 em Salvaterra do Extremo, frequentou os seminários diocesanos de Gavião, Alcains, Portalegre e Valadares entre 1958 e 1970, tendo-se ordenado padre a 27-06-1971. Foi professor nos seminários diocesanos, desempenhou vários cargos e desenvolveu diversas actividades ligadas à diocese sendo actualmente membro do Cabido e seu Arquivista.

Livro Bonif.jpg

O livro agora distribuído (Seminário Maior de Portalegre. Milagre da Providência. – BERNARDO, Bonifácio; Edição de Autor, Portalegre, 2019) reporta a construção do Seminário Maior de Portalegre, cuja primeira pedra foi lançada a 08 de Dezembro de 1953, “primeiro centenário da definição dogmática da Imaculada Conceição da Bem – aventurada Virgem Maria”, até à inauguração oficial exactamente três anos depois a 08/12/1956.

Em 355 páginas, o autor começa por associar as datas de 1549 (criação da diocese), 1919 (reactivação do seminário em Mação, depois do encerramento forçado pela I República), 1949 (celebração dos 400 anos da criação da diocese organizada por D. António Ferreira Gomes, efeméride aproveitada pelo futuro e reconhecido Bispo do Porto para consolidar definitivamente a ideia da construção de um novo seminário maior) e o ano de 2019, justificando assim, de alguma forma, a publicação do seu trabalho.

Depois fazer a contextualização histórica do antigo seminário e do seu encerramento em virtude da política anti-clerical dos governos da I República, o Cónego Bonifácio refere o esforço e a dedicação de vários Bispos a começar por D. António Moutinho, desterrado no Caniçal Cimeiro (Proença a Nova), passando por D. Manuel Mendes da Conceição Santos, D. Domingos Maria Frutuoso, D. António Ferreira Gomes até D. Agostinho Lopes de Moura, o Homem das obras.

Seguem os relatos dos “Preparativos”, do andamento das obras, dos esforços de financiamento para um orçamento previsto para 13.000 contos (13.000.000$00), fotografias do andamento das obras, anexos documentais e listas de professores e alunos que passaram pelo Seminário Maior de Portalegre.

O autor recorre fundamentalmente ao Arquivo diocesano e à imprensa local e regional num estilo simples e linguagem clara e acessível. Saíram apenas 200 exemplares na 1.ª edição e o produto da venda reverte a favor do restauro do Altar de S. Pedro, na Catedral de Portalegre.

Este trabalho vem completar uma espécie de trilogia sobre os seminários diocesanos depois da publicação, em 1979, de “O Seminário de S. José em Alcains”, por JOSÉ MARIA FÉLIX, e “O Meu Seminário, 1963-1974”, em 2019, por JOSÉ ALVES JANA, uma visão pessoal sobre os seminários do Gavião, Alcains e Portalegre, além da sua experiência de vida em Valadares.

António Manuel M. Silva

SEMINÁRIO de ALCAINS1.jpg

SEMINÁRIO do GAVIÃO.JPG