Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Quem se lembra?

05.03.21 | asal
O Facebook falou assim!
Manel Pires Antunes enviou-me há dias esta foto bem especial. Eram as arrecadações do Seminário de Alcains onde se guardavam as ferramentas, os enchidos e ainda onde nós íamos fazer as hóstias. Já não existem, pois foram destruídas para se fazer a nova entrada poente e a rua para o portão de entrada, no lado sul.
Parece que as farinheiras ou as chouriças às vezes voavam... AH
 
A partir daqui, vejam o que surgiu:

IMG_9494.jpg

Ainda guardo nas minhas memórias estes anexos onde pontificava o ecónomo Pe. Marujo. Pela imagem é bem visível o guarda-pó, a nossa indumentária de serviço. Recordo que o meu era preto pela recente morte de minha mãe...

 José Maria Morgado Martins

Eu, como pertenço ao grupo dos mais recentes, não tenho ideia desses "anexos" de apoio. Nem sequer me lembro do local onde se faziam as hóstias. Também não me lembro de ver "voar" chouriças e farinheiras, mas de vez em quando, " voavam" ameixas, maçãs... Nesse tempo, quem fazia a "poda" era o Pe. Chaves 

José Maria Morgado Martins,  qual o ano em Alcains ?
Foi comigo e mais rapazes que fomos ao chouriço e à merenda comemos o choriço. Só que um colega do Mação, que eu não me lembro do nome, notou o que nós estvamos a comer e foi dizer ao Sr. P. Chaves, que nos começou a chamar um a um. Isto na véspera das férias da Páscoa. Ficámos avisad0os que o assunto ia ser apreciado e do que fosse resolvido seria comunicado para casa. Lembro-me do José Ruivo, do Diamantino, creio que tambem o Xavier.n De tod0os só o Diamantino ficou em casa.
Fiz hóstias na sacristia da capela.
António Martins Ribeiro,  Muito obrigado. Avivaste-me a memória 😴Um abração.Tenham uma noite descansada e um excelente fim de semana.
 
José Maria Morgado Martins,  Às vezes comia algumas e provava o vinho. Pshiu...
António Martins Ribeiro,  Não se podia esperar muito mais de rapazinhos de 14, 15, 16 anos "encurralados"☺️
A romagem de SAUDADE programada para o local não se pode cancelar.
Há tanta coisa para recordar!
Esta casa existia no ano 1960? Ou seja em outubro 1959/1960( ano) foi o meu primeiro ano (terceiro) em Alcains ainda decorriam obras interiores e exteriores no seminário não me lembro destas casas;
Lembro me sim fazerem hóstias na capela.
João Mendes Gregório, já não existia. Julgo que o novo pavilhão, que veio ocupar o espaço das arrecadações, começou a ser construído em 1956 e terá sido acabado em 1959.
Espero que o livro nos esclareça estas datas.
Também não conheci estes anexos, mas fiz e comi muita hóstia numa salinha junto à capela.
Isso são modernices posteriores às obras. Agora comer as sobras e as hóstias que saíam mal, isso eu comia. Do vinho não me lembro.
Estes anexos são do meu tempo, o mesmo ano do Manuel Carrilho. Salvo erro o fiel da arrecadação era o Sr. Luís. Belos tempos!
A foto deve ser do ano 1953/4. As instalações em questão eram controladas pelo sr. Padre Marujo, que era o ecónomo. Além do que já foi dito, havia por lá um fumeiro muito bem guardado, as bilhas do azeite, o vinho.... De quando em vez, havia necessidade de se fazerem grandes quantidades de hóstias e, então, aproveitavam-se os dias dos passeios grandes em que havia uma equipa escalada que ali ficava para preparar a feitura da hóstias, com melhores condições do que ao lado da capela. O fito era sempre descobrir a chave do fumeiro. Por vezes acontecia que uma chouriça/morcela ou outras eram sacrificadas nas brasas. Só que, também à vezes, por lá passava um professor ou prefeito, apesar da vigilância possível. Sempre se procurava esconder o petisco, nem sempre da melhor maneira, como aquele colega que enfiou as chouriças na camisa mas ficaram a ver-se os cordéis..... O lugar das arrecadações foi ocupado pelo novo Pavilhão do Seminário, dali sai a escadaria, que já não vi a sua construção, pois parti para Portalegre em 1955.
É interessante ir partilhando estas peripécias nos nossos cursos. Em Alcains havia uma cerejeiras para os lados daquele portão que dava para a rua secundária para os lados do cemitério, por onde saía o empregado , quando à tarde ia despachar o correio. Pois, não me hei-. de esquecer, que comi lá cerejas , nos fins de Abril ,e já eram doces.
Isidro Pedro,  também comi algumas.
 
NOTA: Possivelmente, a conversa continua... AH