Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Instantâneos da vida rural

20.12.20 | asal

Um destes dias, quando estava a limpar a azeitona, ouvi uma cabaça a segredar para a outra:

Agostinho Pissarreira.jpg

- Vamos mas é quebrar esta inércia doentia, enfeitar o nosso pescoço (perdão, o nosso gargalo) com cordões feitos com as sementes da nossa irmã abóbora. Hás-de ver que vamos ficar todas janotas, catitas, esbeltas e gaiteiras para ir à procura do mundo.

- Esbeltas e formosas já nós somos assim como Deus nos deitou à terra, com a bênção de Santo Isidro e a protecção de São Francisco de Assis, responde a outra.
- Tens razão, pois claro, já não vejo bem para me mirar ao espelho da minha cabaceira emoldurada. Se ficarmos aqui assim ledas e quedas ainda vamos mas é parar à bandouva dos porcos!
E a outra:
- Assim todas jeitosas, bonitas, convencidas e invejadas vamos partir aos pinotes, como girafas verdes, (des)orientadas por bússolas doidas, galopar os prazeres da vida, ao desbravio dos campos desconhecidos da nossa geografia emocional.
- Vamos desenlear-nos das amarras internas já, diz a outra, cada vez mais entusiasta e destemida. Havemos de ganhar afoito e embrenharmo-nos pelos meandros, sem fim, dos nossos desejos incautos, intensos e serpenteantes, quais afluentes em bruto dos rios das nossas aspirações inesgotáveis, engrossando o caudal das nossas realizações que nos hão-de levar ao oceano grandioso dos nossos corações, ora calmos, ora tempestuosos, ora encrespados, ora revoltos, ora paradisíacos, ora soturnos, ora miríficos, ora sombrios, sempre agitados e propulsionados pelos altos e baixos das marés da vida!.
- Deixa-te mas é de ladainhas paradas, de filosofias inertes, de cogitações impávidas, de pensamentos líricos, de devaneios narcísicos. Foge da morte e abraça a vida. Sê prática, enfrenta a realidade dos perigos da vida. Não ouves os porcos a gozear pela vianda?!. Daqui a pouco estamos mas é a ir pelas goelas porcinas abaixo, sem apelo nem agravo. Toca a dar à pata já, remata a outra.
Quando acabei de limpar a azeitona as minhas amigas cabaças já tinham dado às de Vila Diogo, guiadas pela rosa-dos-ventos da liberdade plena!

Cabaças.jpg

Notas Finais:

- Santo Isidro: padroeiro dos lavradores e dos agricultores. Nasceu em Madrid por volta do ano 1150.
- S. Francisco de Assis: protector dos animais e padroeiro da ecologia. Nasceu em Assis, Itália, em 1181 ou 1182.
- Bandouva: aparelho digestivo dos suinos, estômago + intestinos (bucho + tripas). Depois de bem lavados e esfregados com sal grosso e cascas de laranja no ribeiro, o bucho é utilizado para fazer paios grandes e os maranhos; as tripas delgadas servem para fazer as morcelas de assar, os chouriços, as farinheiras, as cacholas, os mouros e os chouriços de osso, estes últimos em desuso; as tripas grossas servem para fazer os paios pequenos, os salpicões e as morcelas grossas que são comidas pelo ano adiante.
- Gozear: grunhir dos porcos. Aplica-se quando o grunhir é mais alto, sôfrego, agitado, estridente e intenso como quando estão com fome. Ou então quando são gritos de morte, lancinantes, no momento da matança.
- Vianda: comida dos porcos feita com os produtos da horta cortados aos bocados e temperada com um caneco de farinha. A vianda é preparada num balde de lata ou de esmalte grande.
Agostinho Pissarreira

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.