Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Há cinco anos foi assim

21.05.20 | asal

Por vezes deparamos com imagens que nos prendem a atenção. Andava eu a vasculhar o passado, quando dei com um vídeo que marcou muito fortemente os meus últimos cinco anos, a caminho de seis. 

No blogue "Animus60", dizia um título

A CAMINHO DE CASTELO BRANCO ou, quem é quem na nova comissão

Até eu estava esquecido do que realmente se passou. Mas verifico mais uma vez como nesse encontro tudo decorreu na maior das simplicidades, sem partidos a disputar o poder, e a vivermos todos aquele impasse habitual em muitas associações, que é a dificuldade de arranjar quem se ofereça para trabalhar pelos outros.

Eu ando há 20 anos a viver esses impasses aqui na Amora, mas a verdade é que temos conseguido as boas vontades bastantes para os projetos seguirem em frente. E todos unidos fazemos obra que está à vista de todos. Hoje mesmo a Câmara Municipal assinou com a Casa do Educador/Unisseixal um contrato de comodato para a construção de instalações para a Unisseixal, que vão custar à volta de 2,5 milhões. Somos uma associação, onde todos empurram para o mesmo lado... Assim se adoça o caminho para todos.

Em Abrantes, a indigitação de elementos para a Comissão Administrativa, assim chamada nos Estatutos acabados de aprovar na mesma assembleia, foi feita a partir da oferta voluntária de uns tantos, pressionados até pelos amigos que iam lembrando o seu nome.

Pessoalmente, eu tenho a noção de que uma associação é como uma família, onde todos remam para o mesmo lado depois das decisões tomadas. E também entendo que numa associação todos se devem empenhar em contribuir para o sucesso coletivo. Disse muitas vezes aqui na Amora que o Ant. Henriques criou com outros uma associação, não uma fundação. Aqui nunca houve a "fundação antónio henriques". Isto tem consequências no meu modo de estar. A longo prazo, começo a dizer que quero ser substituído, digo isto com toda a clareza. As razões todas ficam para mais tarde. Nem eu sei bem quais serão...

Mas é normal querer ser substituído. Este é o conceito puro de associativismo. Entretanto, vejam o que se passou em Abrantes.

António Henriques

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.