Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Em poesia

12.10.19 | asal

Os desvarios do mundo na voz da poesia vinda do Montijo! AH

pires da costa.jpg

MUNDO DISFORME

 

Choro e rio às gargalhadas

Pelas farsas que tem a vida,

Gordas mentiras semeadas,

Geradoras de fruta apodrecida.

Tantos criadores de ilusões,

Tantas ofensas às multidões…

 

Tempos e tempos se passaram,

Pouco aprenderam os humanos,

Muitos sobem porque roubaram

As vítimas dos seus enganos.

Há tantos abutres a florescer,

Há tanta humildade a sofrer…

 

Mundo disforme, alguém clamou,

Este que nos alimenta e atraiçoa,

Tem êxito quem muito enganou,

Com reputação de boa pessoa.

Tantos vitupérios que triunfaram,

Abundantes misérias que criaram…

 

Regalados, os reis da trafulhice

Julgam-se com o mundo na mão,

Vivem eufóricos, na aldrabice,

Envoltos em elegante podridão.

Tantos gananciosos por aí à solta,

Tamanhas misérias à sua volta…

 

Desiludam-se do poder e da riqueza

Os ladrões, vendilhões e corruptos.

A terra roda com muita firmeza,

Mas também dá coices abruptos.

Tantos impostores para justiçar,

Tantos injustiçados para reparar…

 

Homens bons enobrecei a liberdade,

Expulsai a traição, defendei a cidade.

Repudiem-se as condutas indignas,

Sem nobreza, destruidoras de vidas!

Cavem-se muitos poços sem fundo,

Antros para as maldades do mundo…

 

A. Pires da Costa

2 comentários

Comentar post