Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

As mortes trágicas de Proença

28.07.20 | asal

Porque são acontecimentos que tocam muito os beirões do Pinhal, trago para aqui as palavras bem oportunas do amigo C. António Assunção. Eu não conseguia dizer... AH

 

COINCIDÊNCIA, ACASO, FATALIDADE?!… DESAFIO?!...

 

Tragédia.jpg

No mesmo mês – 17 e 28 Julho 2020 – Proença-a-Nova esteve “nas bocas do mundo “ por dois acontecimentos contraditórios: duas “tragédias” com dois dos seus jovens… e dois “elogios” motivados pelo testemunho de vida desses mesmos jovens…
A testemunhá-lo as mais altas personalidades deste “jardim à beira mar plantado”, e acontecendo nos dois momentos, a presença de responsáveis da Administração Interna, num, o Ministro e no outro, a Secretária de Estado.
Com o povo santo de Deus, também estiveram presentes dois Bispos: Dom Rui Valério da Diocese das Forças Armadas e Segurança para a celebração das Exéquias da Cabo VÂNIA MARTINS, da GNR, de 31 anos, na Igreja das Moitas e Dom Antonino Dias da Diocese de Portalegre – Castelo Branco para a celebração das Exéquias do Bombeiro DIOGO DIAS, de 21 anos, na Igreja do Peral.
Tudo tão próximo… mesmo as povoações de duas freguesias do concelho que os viram nascer, crescer e morrer…
Nestas circunstâncias as palavras não chegam para exprimir o essencial… e as lágrimas dão o sal para saborear com o coração magoado o mistério dos acontecimentos da vida e da história das pessoas e da Nação… quando iluminadas pelas Cinco Chagas (de Cristo) presentes na Bandeira Nacional.
Na verdade, a vida destes dois jovens proencenses falou mais alto e foi apresentada pelos respectivos bispos como testemunho e certamente como desafio…
“Estamos gratos e reconhecidos à Cabo Vânia porque, pela sua fé, vivida e testemunhada, nos recordou como ser Guarda e ser pessoa é viver absorvido por aquilo que só um ser humano sente, vive e consigo transporta”, disse Dom Rui Valério.
“O Diogo Dias vivia comprometido com a vida e com os outros", sendo "um jovem de fé, altruísta e generoso"… por isso “este silêncio incomoda, interpela e as respostas nunca nos satisfazem" disse Dom Antonino Dias.
Agora é tempo para agradecer, para rezar (Descansem em Paz), para contemplar o testemunho de fé e de serviço aos outros, para… e para, porventura, ganhar ânimo para que estes exemplos juvenis não caiam no esquecimento do “saco roto”, mas sejam “luz no candelabro” e sempre desafio para quem queira aprender a viver para servir.

António Assunção

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.