Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Amanhã vou votar

05.10.19 | asal

Reflexão de fim de tarde

Mário Pissarra.jpeg

 

1.- Eu sei que em Portugal não é obrigatório votar. Aliás, a opção de obrigar as pessoas a votar é muito discutível. Percebe-se a finalidade – combater a abstenção -, mas é no mínimo problemático obrigar a escolher. Ou seja, poderá haver escolhas obrigatórias? Bem sei que se pode opor sempre, mas não escolher não é também já uma escolha?

2. Nas eleições como na vida, nem sempre escolhemos o melhor. Ora temos de escolher o menos mau – ou o mal menor -, ora temos de impedir um mal maior. E sempre temos de escolher entre os possíveis.

3.- Pessoalmente, procuro sobrepor o que considero o bem comum ao que poderia considerar o meu bem individual. Por esta e outras razões, o voto pode assumir uma função estratégica. É neste contexto que enquadro a teoria dos votos úteis ou inúteis.

4.- Continuo a pensar que é preferível votar em branco ou anular o voto a não votar. Quem vota em branco considera que não tem razões para escolher entre as diferentes propostas. Quem anula o voto, assume um protesto que inclusive pode escrever no boletim.

Mário Pissarra

NOTA: Vá lá, vamos mesmo votar! Não fiquemos em casa... Passar quatro anos sem poder falar de política porque não participámos na escolha não é a opção mais correta! AH