Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

A GRANDE PANDEMIA

13.01.21 | asal

António,  aí te envio este pequeno escrito para aquecermos o coração nestes dias de Inverno gelado. Que o Amor de Deus esteja entre nós. João Lopes

  QUASE MIL Grupos Radicais nos EUA

João Lopes1.jpeg

  Aproveito o solinho que me entra a jorros pelo meu escritório, uma bênção para um pobre velho de Cristo, para dar esta funérea, sinistra e clandestina notícia aos meus caros leitores do nosso querido Animus:  quase 1000 grupos de extrema direita, defensores da supremacia branca, sapam, isto é, trabalham ocultamente para demolir os alicerces da velha democracia americana.  Escondem-se por baixo de nomes esquisitos como Ku Klux Klan,  QAnon e outros que podem pesquisar.  O "Público" de hoje fala deles. Ameaçam atacar a tomada de posse de Joe Biden,  no Capitólio em  Washington  e nas capitais dos outros estados e condados.  A HIDRA é  gigantesca!  Esse abominável monstro de enganos e culpas do mundo ameaça devorar o frágil equilíbrio da ordem das nações.  Estejamos atentos ao que se está a passar porque os braços armados do monstro podem envolver as nossas vidas.

 E como fazê-lo senão seguir a voz do nosso papa Francisco: Sobriedade e respeito  pelas leis da Natureza, claramente  enunciadas na Laudato Si.  Para além dos cuidados com a Casa Comum, praticar entre nós a amabilidade, a gentileza e o cuidado mútuo e evangélico, preconizados na Fratelli TUTTI, negros, brancos, amarelos, nativos e imigrantes, homens e mulheres… Siamo tutti fratelli e uguali davanti a Dio! Solidariedade e fraternidade, pois.   “ A amabilidade, em tempo de lobos,  de populismos e de fake news, usadas para semear o pânico em lugar de corresponsabilidade, é um grande desafio.  Quanta agressividade circula também na Igreja e nas comunidades cristãs! (Indiferença e alheamento!) Amabilidade significa domesticar o lobo que está dentro de nós ou então a preguiça, um pequeno mamífero que infesta os campos no Brasil.”( Citação parcial do Frei Bordin no Mensageiro de Santo António , aqui de Coimbra,  o qual continuo a copiar ou “ pilhar”, em português mais vernáculo.

  O outro modelo de comportamento vem de S. José: Cuidar do outro, dos outros e das outras (o primordial feminino inclusivo) é o segredo da grandeza escondida de São José, que só os pequeninos e simples sabem entrever e procurar (…) Nunca se colocou a si mesmo no centro; soube descentralizar-se, colocar Maria e Jesus no centro da sua vida.”  Que a amizade desinteressada, a amabilidade e o cuidado, sejam as palavras  que nos beijam, como nos versos de O’Neill e que lhe não pertencem.

 

 “ Não vivas na terra como um estranho

   Um turista no meio da natureza

   Crê na semente e na flor que ao Sol

   De Inverno se abre em todo o seu esplendor.

   

    Sente a tristeza do animal que agoniza

     O esbracejar da criança no mar

    Cemitério azul de tantos infelizes!

    Portos sem cais, solidão gelada,

    Sem o abraço de uma lareira a crepitar.

   

Dorme meu menino a estrela d´alva

Já a procurei e não a vi

Se ela não vier de madrugada

Outra que eu souber será p´ra ti.

  (  João Lopes roubou esta quadra ao seu condiscípulo Zeca, no tempo das Românicas)