Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Aniversários

25.03.20 | asal

Dois a fazer anos hoje:

- Cón. Lúcio Alves Nunes

Lúcio A N.jpg

Nasceu no concelho da Sertã em 1937, cresceu, estudou, formou-se e serviu a Igreja nos mais variados propósitos e há poucos anos voltou ao mesmo concelho. Na sua provecta idade, continua ativo como Pároco de Ermida, Figueiredo e Várzea dos Cavaleiros; é ainda Vigário Paroquial das Paróquias de Cabeçudo, Cumeada, Marmeleiro, Mosteiro, Sertã e Troviscal.

E é um fiel companheiro dos nossos encontros, como ainda aconteceu em Alfragide em 1 de fevereiro, o que muito agradecemos.

Grande amigo, os nossos PARABÉNS e votos de muita saúde para continuar a servir e a viver em alegria o seu múnus apostólico.

Contacto: tel. 963 186 918

 

José Lourenço.png

- Temos agora o José Rodrigues Lourenço, que vem de 1949, entrando na casa dos setenta. O José Lourenço, a viver em Lisboa e a exercer a profissão de médico, celebra mais uma primavera cheio de vida. É um moço que gosta de estar nos nossos encontros com a esposa e nós gostamos de os ver e estar com eles...

Hoje, lembramo-nos de ti, amigo, e damos-te os PARABÉNS, com votos de muita saúde e felicidade "ad multos annos".

Contacto: tel. 962 028 857

Aniversário

24.03.20 | asal

César Xisto1.jpg

Faz anos neste dia o César Xisto, nascido em 24 de Março de 1944 e a viver em Paris. Ligado profissionalmente ao sector bancário.

Daqui lhe enviamos um abraço de PARABÉNS, com votos de muita saúde e realização pessoal. E que viva por muitos anos.

Não temos contacto telefónico.

O vírus atingiu-nos

23.03.20 | asal

Começo com uma parte do comentário feito pelo João Lopes ao post de hoje:

"Os Salmos bem nos dizem que somos apenas aragem, flor ou erva que seca num dia e o vento leva, sopro, PUF! , pedacinho de neve que, num átimo, se derrete, ... e nós, tão abstrusos e teimosos, lançando para o ar bazófias e proclamações de auto-suficiência! Eu cá sei, eu cá sou...!

Sou nada, nada, nada, para que Deus seja tudo em mim - confessava S. Paulo e o Mestre Eckart, dominicano alemão (1260-1327). " Senhor, dá-me a conhecer o meu fim / e o número dos meus dias,/ para que veja como sou efémero. / De poucos palmos fizeste os meus dias/ diante de ti a minha existência é como nada: / o homem não é mais do que um sopro!/ Ele passa como simples sombra.! / (:::) Agora, Senhor, que posso eu esperar?/ A minha esperança está em ti." João Lopes

José Jesus André.jpg

Andamos nós para aqui a brincar com as situações, carregados com o fardo da clausura, sedentos da liberdade que nos leva aonde queremos, mas, de repente tudo se altera...

Já não sei brincar!

A surpresa da mensagem atira-nos para a realidade, fico aturdido, parado sem forças...

E vocês vão ficar na mesma.

A mensagem é esta: «Olá, António. Só para vos informar que acusou positivo o teste que fiz ontem à noite no Hospital de Portimão ao Covid-19.»

Em resposta, eu disse: «Grande problema, amigo! Rezo para que a medicina te cure rapidamente. Não sei se posso anunciar ao grupo. Um abraço e nós vamos estar os dois convosco.»

-«Sim, podes anunciar.»

PRONTO, CÁ VAI A NOTÍCIA: O Zeca - José de Jesus André - contraíu o vírus, o tão temível vírus que parou as nossas vidas e suspendeu as nossas atividades e os nossos projetos. Agora, que um dos nossos está afetado, parece que cairam as nossas superficialidades e tudo se torna mais escuro.

Mas é agora que nós vamos mostrar quem somos. Eu proponho que todos nos sintamos muito unidos ao Zeca, fazendo toda a força espiritual e mental para ele recuperar da doença. Rezar é a palavra que nestes dias tenho andado a receber e a expedir pelas redes sociais para muitos amigos. Eu acredito nesta força invisível na luta contra um inimigo também invisível. E todos os dias tenho rezado mais que o habitual! Agora mais razões nos movem a pedir o auxílio divino! 

Tantas vezes que aqui falámos de ti, Zeca, apoiando os teus sonhos de levar a arte do Colaço a Estrasburgo! Agora aqui estamos para te garantir o nosso apoio de retaguarda em busca de uma rápida recuperação.  Conta connosco!

AH

24/03/2020 - Aditamento: Já falei com o Zeca. Tosse insistente, febre ora a 37 ou a 39, paracetamol como medicamento, na casa deles, isolamento total (ele num quarto e a Fernanda noutro) e o telefone do médico caso piore a situação.. .Boas melhoras, amigo. AH

O coronavírus e a filosofia

23.03.20 | asal

Recreei-me deveras com esta criação fantástica! Deixo aos nossos filósofos (Pissarra, Alves Jana, José Maria...) uma análise mais funda ao pensamento de cada intelectual do passado (alguns nem sequer os estudei, embora o P. Elias fosse bom professor). E podem rir, que não é pecado... AH

O que os filósofos diriam sobre estes tempos de Coronavírus?

PLATÃO

Filósofos1.jpg

Fiquem na caverna, porra!

FRIEDRICH NIETZCHE
Fique em casa, por mais difícil que seja suportar sua própria presença.

RENÉ DESCARTES
Habito, ergo sum.

HEGEL
Tese: fique em casa;
Antítese: fique em casa;
Síntese: fique em casa.

HERÁCLITO
Não se pega duas vezes o mesmo vírus, na segunda vez o vírus e você já são outros.

JEAN JACQUES ROUSSEAU
O homem é bom por natureza, mas o vírus o corrompe.

ARISTÓTELES
O vírus está apenas cumprindo seu papel no Cosmos ao infectar corpos.

SANTO AGOSTINHO
A medida de amar é amar longe.

SÃO FRANCISCO DE ASSIS
Onde houver vírus, que eu leve álcool em gel.

PROTÁGORAS
O vírus é a medida de todas as coisas.

HANNAH ARENDT
Para o vírus, matar é uma tarefa banal e cotidiana.

IMMANUEL KANT
Duas coisas me enchem a alma de crescente admiração e respeito, quanto mais intensa e frequentemente o pensamento delas se ocupa: o céu estrelado lá fora e eu aqui dentro.

SIGMUND FREUD
O vírus dá plena vazão a suas pulsões reprodutivas porque não é reprimido sexualmente, na infância, pela civilização.

LUDWIG WITTGENSTEIN
Aquilo que não se pode contrair, não se pode transmitir.

JACQUES DERRIDA
O objetivo de todo vírus deve ser a desconstrução do corpo infectado.

ZYGMUNT BAUMAN
A maior evidência da sociedade líquida é sua dependência do álcool.

VILÉM FLUSSER
O DNA do vírus não pode ser decodificado porque a escrita acabou.

MICHEL FOUCAULT
Esses métodos que permitem o controle minucioso das operações do corpo são o que podemos chamar vírus.

WALTER BENJAMIN
A reprodutibilidade excessiva e sem freios do vírus traz como consequência a perda de sua aura de sacralidade.

SIMONE DE BEAUVOIR
Não se nasce infectado, se torna infectado.

JEAN PAUL SARTRE
Nada a retificar, o inferno são os outros.

KARL MARX
Trabalhadores do mundo, separai-vos.

CRISTO
Amai-vos uns aos outros ficando longe uns dos outros.

OLAVO DE CARVALHO
O vírus é um idiota, eu sou um idiota. Na verdade nem sei o que estou fazendo aqui nesta lista, nunca fui filósofo.

JUDITH BUTLER
O fato de esta lista ser composta por 95% de homens revela como a história da humanidade é a história da dominação patriarcal. Homens são o verdadeiro vírus.

NOTA: Metendo a colher nesta lista, acrescento a sentença do Abílio Martins (comentário ao "Serão sinais", do João Antunes):

DEUS perdoa sempre.
O HOMEM, algumas vezes.
A NATUREZA nunca perdoa.

Aniversários

22.03.20 | asal

São dois os aniversariantes de hoje, os dois em serviço ativo à santa madre Igreja, um na zona de Castelo Branco e outro na zona de Abrantes.
agostinho dias copy.jpg

- O P. Agostinho Gonçalves Dias é Diretor do jornal "Reconquista" e pároco de Freixial do Campo, Juncal do Campo e Salgueiro do Campo. Celebra hoje o seu 76.º aniversário em plena pujança de vida.

Pois, meu caro amigo, conheço a tua coragem em assumir a vida com ambas as mãos, a dizer o que pensas com toda a simplicidade e assombro. Por isso, muitos te admiram! A foto não é muito actual, mas tu és avesso  a esta moda!

Neste dia, aqui ficam os PARABÉNS deste grupo de amigos e colegas, com votos de muita saúde e alegria pessoal na realização da tua missão e dos teus sonhos. Ad multos annos!

Contacto: tel. 963 090 714

P. Francisco Valente.jpg

- Também hoje faz anos o P. Francisco José Esteves Valente, nascido em 1961,  que presentemente desempenha as funções de Pároco de Alcaravela, Mouriscas e Santiago de Montalegre; é também Presidente da Comissão Diocesana para os Bens Culturais da Igreja e representante da Diocese no Conselho Consultivo da Casa Museu Padre Belo.

Ao P. Francisco Valente damos os PARABÉNS pelas suas 59 primaveras, desejando-lhe saúde e energia bastantes para realizar a sua missão com agrado pessoal e satisfação da comunidade.

Contacto: tel. 936 360 103  

SERÃO SINAIS!!!

21.03.20 | asal

João Pires Antun..jpg

Andamos todos assustados e durante estes dias só ouvimos falar desta pandemia do coronavirus-Covid19 que condicionou a liberdade a toda a população. É que este invasor veio para matar e apanhando terreno propício não para, contamina até onde o deixarem.

Perante a devastação que já fez por todo o mundo, a humanidade está a reunir todas as suas defesas para barrar a sua propagação.
As pandemias aparecem de longe em longe e a história conta-nos muitos episódios de outros vírus que deixaram a sua marca, pestes horríveis como os relatos da peste negra, bubónica, varíola, cólera e gripe espanhola e outras.
E estas epidemias mancharam os séculos e deixaram muitas dores e lágrimas pelo mundo, dizimaram milhões.
Certamente não será por acaso, mas a humanidade tem culpas e não respeita o mundo natural, parece querer mudar a trajetória e quando menos esperamos, recebemos sinais óbvios de catástrofes e epidemias sinais de aviso de que estamos a tomar caminhos errados.
Este mundo em que vivemos, um mundo de ganância, que transforma em pedra o coração do ser humano faz esquecer o bem comum e alimenta mentiras e corrupção. Porque os gananciosos vivem sempre insatisfeitos com o que têm, querem sempre mais e mais, ultrapassando tudo e todos.
A história está cheia de episódios que levaram a muitas injustiças sociais, pobreza e fome.
E o alerta está no ar, os cientistas continuam a avisar o mundo inteiro e revelam problemas alarmantes que ameaçam o planeta, já muitas vezes falado na comunicação social como por exemplo, a água potável, clima, desflorestação, extinção de espécies, e o lixo que ninguém quer ver por perto. E ainda as ameaças ambientais e se nada for feito a nossa vida quotidiana terá as suas consequências. Porque a terra é o nosso lar, onde deveríamos sentir-nos bem.
Deus que criou o mundo, criou-o perfeito e desde o início Ele revela-se e dá-se ao homem, usa vários meios para transmitir os Seus desígnios.
E aqueles que vivem arredados de Deus, nestas horas de aflição e angústia imploram pelo poder divino, o poder ordenado de Deus, da misericórdia e da bondade a única coisa em que podemos confiar.

corona.jpg

O tempo que estamos a viver faz-nos pensar que perante esta calamidade somos impotentes contra este organismo invisível que veio para destruir e já destruiu muitos dos planos e eventos que a humanidade planeou, por isso é tempo de refletirmos e ordenarmos a nossa vida com vista a uma vivência mais fraterna sem discriminações ou preconceitos, neste mundo imenso e belo.
Que o coronavírus seja objecto de reflexão e possamos tirar conclusões desta adversidade e contribuirmos para um mundo melhor.

João Antunes

Hora do riso

21.03.20 | asal

Conselho aos meus amigos que andam stressados!

Mar.jpg

Vou dar-vos uma dica para acabar com o stress e que resultou comigo.

Assisti a um programa de televisão onde um representante do Dalai-Lama afirmou que, para obter a paz interior, devemos sempre acabar o que começámos, para que possamos beneficiar de calma nas nossas vidas.

Assim, dei a volta à minha casa para encontrar coisas começadas mas que não tinha terminado.

Em pouco tempo acabei uma garrafa de vinho tinto Reserva, uma garrafa de Favaios, uma garrafa de picor Peirão, uma gajafa de tinta Victor, uma girafa de diski, uma jafa de binho do Porco.

Nem imaginam como mi xinto milhur.

Paxam a mesagem a codos os bossos amijus que prexixam de paz xinterior vai hle bazer bem.

XYZ

touro.png

tele trabalho.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enlatados.png

Pilatos.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ridendo castigat mores!  (a rir castigam-se os costumes!)

Ridendo movet pondus in carcere (e alivia o peso na prisão!)

AH

Palavra do Sr. Bispo

20.03.20 | asal

A JOVENZINHA ERA FIXE E FELIZ!...

1.jpg

Sem esquecer o vírus que nos atormenta, vou mudar de registo e falar de Chiara Badano, cujo nascimento foi considerado uma graça de Nossa Senhora das Pedras, devoção dos pais, pois há 11 anos que tentavam ter um filho e não o conseguiam ter. Chiara cedo entrou no Movimento dos Focolares, onde começou a viver a espiritualidade própria do Movimento e era extremamente ativa no setor juvenil. Aí aprendeu a colocar Deus em primeiro lugar e a oferecer a Jesus todas as suas dificuldades e sofrimentos. Gostava do desporto, da patinagem, da montanha e do mar, de cantar e dançar, uma jovem feliz!
Aos 17 anos, durante uma partida de ténis, teve uma forte dor num ombro. As consultas e os exames clínicos multiplicaram-se. O diagnóstico, porém, não tardou, acusava um osteossarcoma, um tumor ósseo, que, apesar dos muitos cireneus, não deixou de ser uma verdadeira quaresma a carregar Chiara com a sua cruz, por ladeira íngreme, até ao cimo do seu calvário e sua páscoa, dois anos depois. Ao tomar conhecimento do que se tratava, Chiara ficou imóvel e em silêncio. Alguns minutos depois, já interiormente refeita, afirmou: «Se é o que queres, Jesus, é o que eu também quero".
Os jovens que partilhavam o mesmo ideal, e outras pessoas do Movimento, alternavam-se em visitas ao hospital, manifestando comunhão com a doente e a sua família. Chiara, porém, nunca perdia o sorriso. O seu quarto, no hospital ou em casa, foi sempre um lugar de encontro, de apostolado, era a sua igreja, a todos cativava pelo seu testemunho. Embora na cama, permaneceu sempre muito ativa. Pelo telefone acompanhava grupos de Jovens, mandava mensagens, cartões e cartazes, fazia sentir a sua presença nos Congressos e atividades, procurava todos os meios para fazer com que os seus amigos e colegas conhecessem os gen e as gen e convidou muitos para o Encontro internacional de Jovens por um Mundo Unido, realizado em Roma, em maio de 1990. Gen significa “geração nova”, são os jovens e adolescentes que fazem parte do Movimento dos Focolares e vivem agregados em todo o mundo por faixas etárias e com dinâmicas próprias, apostados que estão em fomentar a revolução do amor tendo como finalidade a realização do testamento de Jesus: “Que todos sejam um”.
Ela já não podia correr, mas queria que os jovens o fizessem: "Eu já não posso correr. Porém, gostaria de vos passar a tocha, como nas Olimpíadas. Os jovens têm uma vida só e vale a pena empregá-la bem!" Pessoas não crentes e até os próprios médicos, ficavam sensibilizados com a paz que experimentavam ao seu redor. Sentiam-se tocados e alguns até se reaproximaram de Deus, recordam-na, falam sobre ela, invocam-na. O médico que a acompanhava, bastante crítico em relação à Igreja, ficava cada vez mais impressionado com o seu testemunho e o dos pais: “Desde quando conheci Chiara alguma coisa mudou dentro de mim. Aqui existe coerência, aqui, na minha opinião, todo o cristianismo se encaixa”. E alguns dos adjetivos usados por esses médicos para descrever a serenidade e a fortaleza com que Chiara enfrentava essa doença mortal, foram de “fora do comum”, “extraordinário”, “incrível”... "É verdade. A sua atitude não era normal, porque completamente sobrenatural, fruto da graça divina, da fé infinita e do heroísmo cheio de virtude. Ela falava do vestido de noiva para o seu funeral, como se fosse uma jovem que se prepara para o matrimónio". Sim, ela preparou-se para o encontro com o Esposo, escolhe o vestido de noiva, o penteado, os cânticos e as orações para a sua “festa de núpcias”, para a “sua” Missa, o seu funeral. Queria que fosse uma festa, que ninguém chorasse. Apesar do sofrimento, ela sentia-se amada por Deus e manifestava isso de forma bela, como, por exemplo, quando assim se expressou depois de uma noite dolorosa: "Sofria muito, mas a minha alma cantava...".
Quando percebia que a sua mãe estava preocupada pela situação, ia-a confortando: "Confie em Deus, pois você fez tudo"; "Quando eu tiver morrido, siga Deus e encontrará a força para ir em frente"; “Quando me quiser encontrar, olhe para o céu, e me encontrará numa estrelinha”. Nos últimos encontros com o seu Bispo, manifestou sempre um grande amor à Igreja. Sempre serena e forte, diante de cada nova “surpresa”, o seu estado de espírito era sempre o mesmo: "Com você, Jesus, por você, Jesus!"; “Por ti, Jesus, se tu queres eu também quero!”. E tudo oferecia pela Igreja, pelos jovens, pelos ateus, pelo Movimento dos Focolares, pelas missões... e repetia: "Não tenho mais nada, contudo tenho o meu coração e com ele posso sempre amar".
Pouco antes de partir, ela revelou aos amigos que a foram visitar: "Vós não podeis imaginar como é agora o meu relacionamento com Jesus... Sinto que Deus me pede algo mais, algo maior. Talvez seja ficar neste leito por anos, não sei. Interessa-me unicamente a vontade de Deus, fazê-la bem no momento presente: aceitar os desafios de Deus”. Por insistência de muitas pessoas, Chiara, escreveu um bilhetinho a Nossa Senhora a pedir-lhe a cura, e ela escreveu: "Mãezinha Celeste, eu te peço o milagre da minha cura; se isso não for vontade de Deus, peço-te a força para nunca ceder!"
Quando perceberam que o tratamento já era inútil, os médicos decidiram interromper as terapias. A doente referiu: “A medicina depôs as suas armas. Interrompendo os tratamentos, as dores nas costas aumentaram e quase não consigo mexer-me. Sinto-me tão pequena e o caminho a percorrer é tão árduo... muitas vezes sinto-me sufocada pela dor. Mas é o Esposo que vem ao meu encontrar, não é? Sim, eu também repito: ‘Se tu queres, eu também quero’... Tenho a certeza que, com Ele, venceremos o mundo!”.
O relacionamento entre Chiara Badano e Chiara Lubich, a Fundadora do Movimentos dos Focolares, era muito próximo. Como os membros do Movimento dos Focolares, que o desejassem, podiam receber um outro nome, e Chiara Badano ainda o não tinha recebido, no dia 30 de setembro de 1989, Lubich respondeu-lhe assim, animando-a à perseverança até ao fim: "Chiara, não tenhas medo de Lhe dizer o teu sim, momento a momento. Ele te dará força, fica certa disso! Eu também rezo e estou sempre aí contigo. Deus ama-te imensamente e quer penetrar no íntimo da tua alma e fazer com que experimentes gotas de céu. 'Chiara Luce' - Clara Luz - é o nome que escolhi para ti. Tu gostas? É a luz do Ideal que vence o mundo. Eu o mando junto com todo o meu afeto...".
Chiara ‘Luce’ Badano veio a falecer aos 19 anos, em 7 de outubro de 1990. Segundo relata a sua mãe, se o seu último ato de amor foi a doação das suas córneas a dois jovens, as suas últimas palavras, foram: “Tchau mamãe! Esteja feliz, porque eu estou feliz”.
Em 25 de setembro de 2010, a Igreja proclamou a sua Beatificação, a primeira pessoa do Movimento dos Focolares a alcançar esse reconhecimento. Participaram milhares de pessoas, de mais de 40 países dos cinco continentes.
Os santos são as mais belas flores da Humanidade!

Antonino Dias
Portalegre-Castelo Branco, 20-03-2020.

Da Austrália

19.03.20 | asal

Brisbane-Austrália

Diamantino3.jpg

Hoje apeteceu-me, bebendo o meu café e andando no meu jardim, escrever este bilhete postal e claro sabendo que estou adiantado no relógio 10 horas.
O dia nasceu com o sol no horizonte aquecendo esta manhã de outono. Os coloridos pássaros desta região do globo cantarolando e tentando apanhar alguns insectos, sementes ou frutos para o pequeno almoço. Abelhas voando de flor em flor, adquirindo alimento para elas e para toda a humanidade. Enfim a natureza no seu melhor e alheia a todos os problemas que hoje afectam o nosso mundo.

Nós humanos lutando contra o vírus que começou a fazer parte desta natureza sem ser convidado. Mais um dia em que união faz a força e todos juntos venceremos. Notícias frescas pela manhã afirmam que nesta cidade cientistas descobriram o medicamento para o coronavírus usando dois medicamentos que já estão no mercado farmacêutico. Isto quer dizer que não é uma vacina mas sim um remédio que mata o vírus. Espero que seja uma realidade.

Novas restrições do governo designadamente proibição de viajar fora do País . Acabei agora de ouvir as notícias sobre estado de emergência em Portugal. Estamos em guerra mas vamos vencer. Forte abraço do outro lado do mundo.

Diamantino Ribeiro

NOTA: Obrigado, Diamantino, pela mensagem. Como estás a ver, não podemos ir ao festival do plangaio outra vez, nem almoçar na Catraia. Hoje o nosso Primeiro permitiu que eu, com mais de 70 anos(!!!), pudesse dar um passeio higiénico. Agora que já estava habituado a ficar em casa, como disse no post anterior!... Mas a verdade é que nós estamos mesmo em grande risco, mesmo que nos vamos rindo da situação para aliviar a tensão! AH

Estamos em casa

19.03.20 | asal

No comentário que o João Lopes fez ao post "Escutismo de novo", entre outras coisas escreveu:

«A solidão e o isolamento, se não cuidarmos disso, depressa nos submergem nos vales profundos da depressão, que é o meu receio com este sequestro forçado, mas necessário. Bolas! Já não posso fazer a minha hora de corrida no parque verde do Mondego, onde correm águas e saudades que até ao mar não param...

Pois, meu caro João, aqui estou eu a esforçar-me para trazer novidade aos amigos do ANIMUS SEMPER.

Nestes dias de isolamento social, quebrado apenas pelos telefonemas dos amigos e familiares, há a tendência para uma certa modorra, desleixo, eu sei lá, até um desconforto psicológico que nos tolhe e nos faz infelizes...

Há que combater estas adversidades... Há que pensar em aspetos positivos. Eu já arrumei papéis que há um ano esperavam mão amiga. Até já vi filmes em casa. Até comecei a ler mais. 

Cada um tem o seu modo de fazer, não estou a impingir nada. Mas a verdade é que muito, mas muito mesmo, depende das decisões de cada um. 

A pequena amostra que vos deixo ajuda a descobrir como fazer. E a minha esposa também vai nesta onda: até já fez um prato especial para apresentar no seu blogue (papas e bolos), sobretudo para as mães que agora têm os filhos pequenos em casa.

Também se podem entreter mais com o nosso blogue, usando a função PESQUISAR (na coluna da esquerda). Ontem tivemos 264 visualizações!

Passem bem! AH

Os nossos dias

18.03.20 | asal

É agora o tempo

Jorge Wemans.jpg

Jorge Wemans | 17 Mar 20   in "7Margens"

Estamos a viver uma época extraordinária. Um tempo único. Convém não o encher de coisas ordinárias. No futuro, não poderemos olhar para este tempo apenas como um tempo cinzento em que nada de notável nos aconteceu, para além do confinamento domiciliário sobressaltado por tristes notícias. Temos de fazer agora coisas marcantes. Atos que possamos recordar como tendo sido feitos neste tempo de quarentena.

Arrumar e catalogar os livros, os discos, as fotografias, os contactos de mail, pôr ordem na desorganização que grassa no computador, tablet e telemóvel. Falar àquele amigo com quem já tantas vezes pensámos reatar a relação antiga. Iniciar a ginástica diária que andamos a prometer a nós próprios há um ror de tempo. Consertar o armário que está de esguelha. Reorganizar os utensílios na cozinha. Concretizar a meia hora de meditação e silêncio interior… Iniciativas para começarmos a partir de um novo patamar…

Façamos, pois, pequenas coisas extraordinárias para podermos recordar tê-las feito quando estivemos de quarentena. No futuro contaremos aos amigos e familiares: “Olha, foi no tempo da epidemia do coronavírus que fiz isso, que comecei a ter esse hábito, que…”. Não deixemos que este tempo extraordinário se escoe em dias todos iguais escorrendo sem a nossa marca.

Jorge Wemans é jornalista e integra a equipa editorial do 7MARGENS

Aniversário

18.03.20 | asal

Desta vez, é o  António Silva Duque a celebrar a vida!17361003_1486722328039401_435245959_n.png

Caro amigo e vizinho, com os nosso PARABÉNS, aqui deixamos os desejos sinceros de que continues a desfrutar de saúde, felicidade e muitos amigos, celebrando cada ano com muito gosto pessoal e na companhia dos familiares. 

E nós gostamos de te ver por aí, nos nossos encontros, comunicando felicidade.

Só não sei se em 16 de Maio estarás em Alcains, pois o Covid-19 ameaça enjaular-nos...

Contacto: tel. 966 537 128

Uma notícia triste...

17.03.20 | asal

Cruz de cemitério1.jpg

Mais um dos nossos foi hoje chamado pelo Mestre, para se juntar ao coro dos eleitos; o João Rodrigues Dias, do ano de 1952. É de Versadas, freguesia de Sarzedas. Pertence ao ano do Abílio da Cruz Martins, entre outros. O funeral é amanhã, dia 18, em S. Domingos, às 11:00h. Um abraço a cada um.

O João esteve connosco em Marvão e Portalegre. Acabou-se para ele a espera. Agora já sabe como é o outro lado. Que Deus o tenha recebido em paz e alegria. Rezemos...

Uma questão de justiça

17.03.20 | asal

Pedro Vaz Patto | 16 Mar 20      in "7Margens" 

Pedro Vaz Pato.png

A Universidade de Georgetown, de Washington, realizou um estudo que pretende contabilizar a ação da Igreja Católica no âmbito da promoção social (saúde, educação, combate à pobreza, etc.) no mundo inteiro.

Dele resulta que a Igreja Católica é responsável por 150.087 escolas que servem 54 milhões de estudantes, 5.000 hospitais, 16.000 clínicas, 600 leprosarias, 16.000 casas de acolhimento de idosos, doentes crónicos e pessoas com deficiência, 10.000 orfanatos, 10.500 infantários, 13.000 consultórios matrimoniais, 3.200 centros de educação social e 31.182 outros centros de beneficência.

Uma grande parte destas estruturas situa-se nos países em vias desenvolvimento (em muitos âmbitos onde os Estados não chegam) e o seu raio de ação nesses países tem crescido nos últimos anos.

Do estudo pode concluir-se que nenhuma outra instituição, no mundo inteiro, exerce uma ação que nestes âmbitos se possa comparar à da Igreja Católica. E poderíamos imaginar a tragédia que seria se toda esta ação, por qualquer motivo, cessasse.

Também em Portugal a ação da Igreja Católica no âmbito da solidariedade social vem sendo reconhecida por sucessivos governos e personalidades de todos os quadrantes.

É verdade que os efeitos da ação da Igreja não podem medir-se apenas quantitativamente. Nem os seus benefícios se reduzem ao da promoção humana, prescindido dos benefícios de ordem espiritual e sobrenatural.

E também não podem as conclusões deste estudo alimentar algum tipo de arrogância triunfalista, que ignore as incoerências e contra-testemunhos que não poucas vezes resultam dos comportamentos de membros das instituições católicas, a partir de quem neles tem as maiores responsabilidades.

Vêm à mente, a este propósito, os escândalos dos abusos sexuais de crianças e jovens, cuja dimensão se vai revelando cada vez mais.

Mas se o enfoque da opinião pública mundial se tem concentrado desde há vários anos nesses escândalos, não será desadequado pretender que realidades benéficas como estas não sejam ignoradas. Realidades que muitos desconhecem em toda a sua extensão. Isso permitiria dar da ação da Igreja Católica uma imagem mais fiel, e não uma imagem que com frequência é desfocada. Não tanto porque se revelem falsidades, mas porque só se revela um de muitos lados da verdadeira imagem, o lado mais escuro e vergonhoso. É uma questão de justiça.

Pedro Vaz Patto é presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz, da Igreja Católica

Escutismo de novo

16.03.20 | asal

Porque o Herculano Lourenço apareceu com uma foto dos escuteiros do Seminário de Portalegre Escutas no Semin.jpgrecheada de caras conhecidas e em grande quantidade, apetece-me voltar ao tema, sempre a desejar que um amigo me traga um texto e fotos do escutismo no Seminário de Alcains.

Para mim, com uma memória infetada pelo vírus senil (o Covid-39?!)), foi uma alegria ver estas caras catitas, cheias de juventude, com quem partilhei sobretudo muita vida, muito entusiasmo em projetos de juventude e solidariedade social. 

Alguns já se despediram para a morada eterna, mas gostei de olhar para o Ernesto Jana, o Álvaro, o Luís Moreira, o Américo Agostinho, o João de Deus, o Herculano, o Manuel Luís, oJoão Chamiço, o P. Marcelino, o Lúcio (?), Varão , Lopes Nunes... De nomes, não vou além...

Agora, o mal desta conversa é eu estar a falar sozinho e estas caras não me responderem, não dizerem nada, que é o que eu espero, porque esse é o costume... 

Só não paro e entro em isolamento social e internético porque a minha atitude também me faz bem a mim. Não sei até quando!

Mas uma coisa é certa: estes 22 homens passaram pela vida a fazer o bem e o lema dos escuteiros ficou colado às suas pessoas para toda a vida.

AH