Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Aniversários

Alexandre Pires.jpg

São dois os aniversariantes de hoje:

1 - Chegou o teu dia! Meu caro amigo,  Alexandre Ramos Rodrigues Pires, que a vida te continue a sorrir, mesmo que alguns escolhos se intrometam, como se espera...

Natural de Penha Garcia, vive em Carnaxide a sua aposentação do ensino público. E gasta umas horitas por semana nos ensaios do Coral Stella Vitae, que já animou graciosamente o nosso bonito encontro de Portalegre...

Aqui se registam os PARABÉNS DO GRUPO, com votos de uma vida longa e feliz. Basta seguires o exemplo da mãe, que ultrapassou os 100 sem qualquer sobressalto... E aqui está ele todo sorridente, com a esposa.

Contacto: tel. 969 019 316

 

Rui Lourenço1.jpg

2 - Depois é o Rui Lourenço, da Sertã, a celebrar mais um aniversário. É da sua página do Facebook que retiro informação, pois connosco ainda nada constava nas nossas listas...

Nascido em 1978, é um jovem Técnico superior de Desporto na Câmara da Sertã, onde vive. 

Caro amigo, PARABÉNS deste grupo dos antigos alunos dos seminários de Portalegre e Castelo Branco, e votos de longa vida com saúde, sucesso e felicidade.

Contacto: tel. 965 873 669

Palavra do Sr. Bispo

A SERVIR SEM LUVAS NEM ALARDE

IMG_0590.jpg

Cada um pelo seu caminho e nas suas circunstâncias existenciais está convidado à santidade. Os santos não são apenas os que estão nos altares. Há os santos de ao pé da porta, a classe média da santidade, como refere Francisco. Com certeza que muitos desses santos são nossos familiares, amigos e outros com quem menos nos relacionámos, mas com os quais nos cruzámos, sentámos à mesa, trabalhámos e convivemos, outrora com os que já partiram e hoje com os que vivem ao jeito de Jesus. A santidade não está “reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra. És uma consagrada ou um consagrado? Sê santo, vivendo com alegria a tua doação. Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do teu marido ou da tua esposa, como Cristo fez com a Igreja. És um trabalhador? Sê santo, cumprindo com honestidade e competência o teu trabalho ao serviço dos irmãos. És progenitor, avó ou avô? Sê santo, ensinando com paciência as crianças a seguirem Jesus. Estás investido em autoridade? Sê santo, lutando pelo bem comum e renunciando aos teus interesses pessoais (Gaudete et exultate,14). 

E se é saudável que os filhos percebam que a mãe reza pela santificação do pai, que o pai reza pela santificação da mãe, que ambos rezam pela sua própria santificação e pela santificação dos filhos, e ensinam os filhos a rezar pelos pais, nestes dias, porém, em que celebramos a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, todos somos convidados, a nível mundial, e já por iniciativa de São João Paulo II, a rezar pela santificação dos sacerdotes. É uma oportunidade para que os próprios sacerdotes façam memória do dom recebido e o procurem redescobrir de maneira sempre nova. É também oportunidade para que todo o Povo de Deus se associe em ação de graças pelo grande dom do Ministério Sacerdotal à Igreja e pedindo especialmente a santificação dos seus sacerdotes. É sabido que a Igreja “não precisa de muitos burocratas e funcionários, mas de missionários apaixonados, devorados pelo entusiasmo de comunicar a verdadeira vida. Os santos surpreendem, desinstalam, porque a sua vida nos chama a sair da mediocridade tranquila e anestesiadora” (id.138).
E nestes tempos sofridos pelos escândalos que correm por esse mundo fora, também nos associamos ao agradecimento que o Papa Francisco faz a todos aqueles sacerdotes “que servem o Senhor com total fidelidade e se sentem desonrados e desacreditados pelos vergonhosos comportamentos dalguns dos seus confrades. Todos – Igreja, consagrados, Povo de Deus e até o próprio Deus – carregamos as consequências das suas infidelidades. Agradeço, em nome da Igreja inteira, à grande maioria dos sacerdotes que não só permanecem fiéis ao seu celibato, mas se gastam no ministério que hoje se tornou ainda mais difícil pelos escândalos de poucos (mas sempre demasiados) dos seus irmãos. E obrigado também aos fiéis que conhecem bem os seus pastores e continuam a rezar por eles e a apoiá-los” (Francisco, 24/02/2019).
Na sua homilia no Jubileu dos Sacerdotes no Ano Extraordinário da Misericórdia, em 3 de junho de 2016, o Papa convidava os sacerdotes do mundo inteiro a fixar “o olhar em dois corações: o Coração do Bom Pastor e o nosso coração de pastores”. É com os olhos fixos no Coração do Bom Pastor que renovaremos a memória de quando o Senhor nos tocou e nos chamou para O seguir. “Nele vemos a sua doação incessante, sem limites; nele encontramos a fonte do amor fiel e manso, que nos deixa livres e torna livres; nele descobrimos sempre de novo que Jesus nos ama «até ao fim» (Jo 13,1)”. Para ajudar o coração dos Sacerdotes a inflamar-se na caridade de Jesus Bom Pastor, Francisco aponta três exercícios muito importantes a ter em conta nesse treino que passo a sintetizar:

1 - “O pastor segundo Jesus tem o coração livre para deixar as suas coisas, não vive fazendo a contabilidade do que tem e das horas de serviço: não é um contabilista do espírito, mas um bom Samaritano à procura dos necessitados. É um pastor, não um inspetor do rebanho; e dedica-se à missão, não a cinquenta ou sessenta por cento, mas com todo o seu ser. Indo à procura encontra, e encontra porque arrisca. Se o pastor não arrisca, não encontra. Não se detém com as deceções nem se arrende às fadigas; na realidade, é obstinado no bem, ungido pela obstinação divina de que ninguém se extravie. Por isso não só mantém as portas abertas, mas sai à procura de quem já não quer entrar pela porta. Como todo o bom cristão, e como exemplo para cada cristão, está sempre em saída de si mesmo. O epicentro do seu coração está fora dele: é um descentrado de si mesmo, porque centrado apenas em Jesus. Não é atraído pelo seu eu, mas pelo Tu de Deus e pelo “nós” dos homens”.

2 – O pastor segundo o coração de Jesus “é ungido para o povo, não para escolher os seus próprios projetos, mas para estar perto do povo concreto que Deus, através da Igreja, lhe confiou. Ninguém fica excluído do seu coração, da sua oração e do seu sorriso. Com olhar amoroso e coração de pai acolhe, inclui e, quando tem que corrigir, é sempre para aproximar; não despreza ninguém, estando pronto a sujar as mãos por todos. O Bom Pastor não usa luvas... Ministro da comunhão que celebra e vive, não espera cumprimentos e elogios dos outros, mas é o primeiro a dar uma mão, rejeitando as murmurações, os juízos e os venenos. Com paciência, escuta os problemas e acompanha os passos das pessoas, concedendo o perdão divino com generosa compaixão. Não ralha a quem deixa ou perde a estrada, mas está sempre pronto a reintegrar e a compor as contendas. É um homem que sabe incluir”.

3 – "A alegria de Jesus Bom Pastor não é uma alegria por Si, mas uma alegria pelos outros e com os outros, a alegria verdadeira do amor. Esta é também a alegria do sacerdote. É transformado pela misericórdia que dá gratuitamente. Na oração, descobre a consolação de Deus e experimenta que nada é mais forte do que o seu amor. Por isso permanece sereno interiormente, sentindo-se feliz por ser um canal de misericórdia, por aproximar o homem do Coração de Deus. Nele a tristeza não é normal, mas apenas passageira; a dureza é-lhe estranha, porque é pastor segundo o Coração manso de Deus".

Antonino Dias
Portalegre-Castelo Branco, 28-06-2019

ANIMUS SEMPER, acorda!

As pessoas já começam a achar que é demais!

Eu com muletas.jpg

Há oito dias que este bicho hiberna, parece que morreu. Vá lá, ainda abre a boca para anunciar aniversários graças à tecnologia que permite com antecedência dar ordens para publicar mensagens... E até publicou sozinho a entrevista ao Patrocínio, não sei se viram... E mais nada! 

Pois é, as máquinas também param, como os seus donos. Não sofrem dos mesmos males, mas sozinhas não avançam com as tarefas: «patrão fora, dia santo na loja!».

E aqui estou eu agora a reativar os circuitos parados, com os cuidados necessários para não voltar atrás e desconjuntar o que tanto custa a reanimar.     

                

Quarto do doente.jpg

Incapacitado fisica e psiquicamente por uma operação ao joelho, ando há oito dias a lutar para recuperar esta parte de mim que tanto me faz falta. Até agora, tem sido cama, cadeirão, sofá, tempo de perna levantada a defender-me dos inchaços que nem os comprimidos e o gelo resolvem satisfatoriamente. Por isso, saio à fisioterapia, que é como a argila - só a longo prazo se nota o progresso. Aquelas mãos de oiro, que me envolvem o edema e se esforçam por o debelar, bem querem fazer milagres, mas também sabem que só com o tempo se melhora...

Assim, não sei o que se passa: mal por estar no sofá, mal por estar na cama, mal por estar no cadeirão, ver TV não me agrada nada, ler é o mesmo... E passaram-se assim oito dias! Olho para esta perna trombuda e não gosto das dores e desta pele inchada a rebentar. E tudo tem sido evolução normal, dizem, nada perturba a quase-certeza que vou ser novamente um peão sem achaques. Mas eu é que as sofro! 

E hoje, pela primeira vez, arranjei forças para abrir o computador... Graças a Deus!

Não desejo a ninguém esta sensação de incapacidade. As canadianas roubam-me as duas mãos! Então trabalho com quê? Quem me traz o copo, o livro, o caderno? Pior: quem me ajuda a lavar-me, a calçar meias e sapatos, quem me prepara refeições, quem me transporta? Isto é demais! A minha "escrava Isaura" é uma santa... E ainda por cima se ri e nunca diz "não" a um pedido. Grande mulher, já o disse muitas vezes, o que não tira de mim a sensação de que estou dependente...

Daqui a um mês, estará  tudo melhor! Eu confio!

António Henriques 

Parreirinha - sempre presente

Caríssimo, 

28-06-19.JPG

 

Aqui vão os sete magníficos que hoje se deslocaram até à Parreirinha de Carnide. 
Antes de ter dado entrada com os assuntos “agendados”, já me estavam a perguntar por ti, muito preocupados com a tua já distante ausência. 
Lá tive então que levar até eles o abraço que ontem me encomendaste. Todos retribuímos com um novo abraço de rápidas melhoras. 
Esperamos depressa ver-te completamente direito e capaz de centrares a bola, para as costas dos defesas, a jeito de ser recebida pelo veloz extremo e proporcionar um grande golo. 
Vão começar as férias e já estamos a notar algumas ausências. 
Abração!

Manel Pires Antunes

Aniversário

Mais dois aniversariantes!

IMG_0537.jpg

 

- É o Nuno Santos Silva, de Cardigos, com quem tivemos o prazer de conviver no Encontro da Sertã. Nasceu em 1956  e é do mesmo ano do Carlos Tavares...

Trabalha como professor numa das escolas de Santarém, onde se esforça por alargar os gostos dos gaiatos, atirando-lhes remos para as mãos e não só!

Caro amigo, com muita alegria te abraçamos, te damos PARABÉNS e te desejamos uma vida cheia de saúde e felicidade. 

As fotos são da Sertã! Eles não estão lindos?

IMG_0526.jpg

 

Contacto: tel. 912133262

 

 

 

Pedro Machado.jpg

 

 

 

- Também hoje faz anos o Pedro Machado, de quem não tínhamos informações. É de Alcaravela, ainda andou em Portalegre, formou-se em Engenharia Civil e o resto não sabemos. Com o tempo, vamo-nos conhecendo melhor. 

 

PARABÉNS, amigo, e votos de muita felicidade.

 

Aniversário

Nascido em 27-06-68, faz anos o P. José António da Cruz Afonso, que em 2013 foi nomeado Pároco de Álvaro, Madeirã, Pedrógão Pequeno, Sobral e Carvalhal, Arciprestado da Sertã.

Em 2015, foi também nomeado pelo Sr. Bispo como Presidente da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Pequeno, Instituição que já não tinha corpos sociais há mais 30 anos.

Aqui deixamos os PARABÉNS do grupo a este amigo, desejando-lhe muito sucesso no seu trabalho, muita saúde e alegria no serviço.

Não conseguimos uma foto do aniversariante.

Contacto: tel. 967 092 726

Aniversário

IMG_4576.jpg

Mais um bem conhecido!

E chegou o teu dia, José Ventura Fernandes Domingos! O que são 70 anos ao lado dos amigos que já andam pelos 80 e 90? Isto quer dizer que tens muita vida para viver...

Assim, damos-te os PARABÉNS por mais uma primavera e alegramo-nos com a tua alegria e por seres um de nós, não te cansando de estares a enriquecer o grupo com o teu trabalho, ora dando à luz as nossas caras, ora convivendo com a malta nas mesas de repasto que se armam à nossa frente, ora ainda dedilhando as teclas do órgão quando é necessário.

Hoje apresento-te em foto da Sertã ao lado do irmão, que também fez anos há dias, dois ilustres proencenses...

Que a Vida continue a sorrir-vos com saúde e felicidade.

Contacto: tel. 962 311 894

Entrevista ao Patrocínio

A. Patrocínio.png

Repito hoje o post de Maio, que a muitos passou despercebido. AH

Na Sertã eu tinha aproveitado a presença do Patrocínio para gravar umas imagens e conversar com ele... Sucede, no entanto, que as circunstâncias deitaram para o vazio aquilo que eu quis enviar para as nuvens. Vocês não entendem? Eu explico:

A memória do vosso e do meu smartfone vai-se enchendo com as imagens que, quase sem dar por isso, vamos recebendo uns dos outros, muitas vezes sem sequer as abrirmos (eu tenho lá tempo para ver e ler tantas coisas?). E quando eu queria gravar mais imagens do nosso rico encontro da Sertã, fui avisado que não tinha mais memória e nem uma simple foto eu podia tirar. Que fazer? - Vou mandar para a "nuvem" umas coisas já gravadas e depois apago-as no meu telelé para novas gravações... Está bem, está! Esqueci-me que enviar imagens para o "Google Fotos" demora muitos minutos, sobretudo quando se trata de vídeo em mp4. 

Assim, apaguei a entrevista antes de tempo e fiquei sem nada. Alguns de vocês talvez também possam aprender com os meus erros...

E agora, após uma viagem de 45 km, aqui está a nova entrevista ao amigo António Patrocínio, de quem o João Lopes há poucos dias escreveu neste blogue: «  O Patrocínio, grande obreiro da nossa diocese, deu-nos informações preciosas sobre o Seminário de Alcains e o seu património, que não podem ficar na escuridão dos arquivos».

Patrocínioa.jpg

Para além do muito que ele fez nos últimos 18 anos a favor da Diocese, especialmente a regularizar toda a documentação patrimonial e fiscal, o António Patrocínio é um antigo aluno que apanhou o tal espírito de servir a que o Seminário nos ensinou e representa o caso típico do ex-seminarista bom homem e bom cristão, sempre agradecido a quem o preparou para a vida.

Ainda por cima, falámos sobretudo do Seminário de S. José de Alcains, onde nos vamos encontrar no próximo ano em 16 de Maio.

Aqui estão as suas palavras, que com muito gosto publico. AH

 

 

Aniversário

Manuel Roque Lourenço.jpg

 

Celebra hoje o seu aniversário o Manuel Roque Lourenço, nascido em 23-06-1950 e a viver hoje em Lisboa. Está reformado das tarefas bancárias e dedica o tempo à família.

Herculano, dá lá um abraço ao teu irmão e diz-lhe que não nos esquecemos dele...

PARABÉNS e que seja muito feliz.

Contacto: tel. 964 159 924

Aniversário

Bruno Cordeiro.jpg

 

Mais um jovem a fazer anos hoje...

Trata-se do Bruno Cordeiro, de 38 anos, casado, a viver em Coimbra e a trabalhar e estudar arduamente no Doutoramento em Gestão de Empresas, ele que trabalha no Instituto Miguel Torga.

Nascido em 22 de Junho de 1981, aqui lhe deixamos os PARABÉNS do grupo e desejamos muito sucesso na realização dos seus propósitos, o que inclui boa saúde, muita alegria e amizade.

Contacto: tel. 965 879 664

Aniversários

Carlos Diogo.jpg

Está hoje de festa o meu colega Carlos Diogo, um Sr. Professor a viver em Mação e que não falta aos nossos Encontros.

Aqui está ele com a esposa a saborear o rico almoço do encontro da Sertã.

Fazes agora 79 anos, sempre a alcançar-me na meta, mas dentro de pouco tempo eu volto a ultrapassar-te.

Acho que posso dizer que tens sido um sortudo, com saúde e muita felicidade. E cá estamos nós a dar-te os PARABÉNS pela vida e a desejar-te ainda muita saúde e alegria por longos anos. Sê feliz...

Contacto: tel. 965357497

 

Tiago Xavier1.jpg

Também hoje faz anos o Tiago Xavier, um jovem de 34 anos, de Castelo Branco e a viver em Ponta Delgada, Açores.

Engenheiro mecânico de profissão, aqui está esta cara linda, que pertence com gosto ao nosso grupo.

Meu caro, PARABÉNS neste teu aniversário. Deixamos um abraço e votos de muita felicidade e saúde. Um dia temos de te encontrar...

Contacto: tel. 926 048 181

Hoje - feriado religioso

Hoje, dia do Corpo de Deus, a Igreja da Amora estava bem cheia para participar na 1.ª Comunhão de 54 crianças da Catequese. O dia presta-se a olhar para os mistérios que envolvem a nossa vida e um deles é a Eucaristia. Há coisas que não se vêem, mas enriquecem a nossa existência e dão-nos uma ligação ao sobrenatural.

Também hoje, quase sem querer dadas as circunstâncias (na véspera de uma ida demorada ao hospital!...), pus-me a pensar no homem que sou, aquela areia ao lado de muitas outras nesta Terra, que por si também é uma areia ao lado de tantos mundos-areias que se estão a descobrir nos universos que por aí existem. Realmente, somos seres misteriosos, ainda por cima com a consciência das realidades. Dependentes de tantos, a quem temos de agradecer o que por nós fazem e fizeram, mas igualmente servidores de muitos, que de nós esperam alguma dádiva... 

Vamos vivendo e olhando para muitos à nossa volta, uns cheios de vida e viço, outros a carregar com os pesos da vida já longa, que se vai apagando. Que Deus ajude a todos e me ajude também a mim no discernimento do que é melhor. E que sejamos capazes de viver os dias em tranquilidade. Sem ela, é mais difícil...

NÓS.jpg

NOTA: Hoje deu-me para isto! E já agora, uma última palavra: o ANIMUS SEMPER vai hibernar por uns dias, apresentando apenas os aniversariantes. Trabalhos maiores impedem-me de a ele aceder como habitualmente. A todos os amigos que diariamente nos visitam desejo que vivam felizes.

Abraço do António Henriques

Visitar Banksy

Levados pela fama e pelos anúncios de mais uma Exposição na Cordoaria Nacional, onde sempre acontecem grandes eventos, lá fomos nós na tarde de sábado para conhecer mais um artista carregado de notoriedade, desde logo pela sua identidade desconhecida e depois pelo arrojo e irreverência da sua obra.

Diz-se que é britânico, que começou a distinguir-se como artista de rua pintando graffitti nas cidades de Bristol e Londres, mas que alguém começou a apreciar, vendo ali uma originalidade de comunicação que do anonimato passou à fama, de perseguido passou a ser protegido. 

Não vende os seus quadros, os de rua e os de estúdio, mas alguém os compra e agora há já colecionadores que expõem as suas obras, como é o caso desta exposição em Belém, quase toda de um único proprietário.

Banksy apresenta-se como artista que comunica sugerindo, surpreendendo nas imagens, brincando com as situações.

Percebe-se que defende a sua e nossa liberdade, não gosta de ser oprimido (não acham que já há leis a mais?!), é contra o capital e os regimes ditatoriais, considera o consumismo uma balela que nos faz correr atrás da felicidade por caminhos enganosos que apenas nos enchem de vazio. Ele brinca tanto com as situações comerciais que chega a armadilhar um quadro vendido num leilão com um corta-papéis e que se vai desfazendo em fitas após ser comprado, para espanto da assistência!

Percebe-se também nesta exposição uma acérrima defesa dos palestinianos, massacrados pelo estado judaico. Várias pinturas presentes aproveitam as condições da vida na Palestina para sonhar com a liberdade contra os muros, pela alegria contra o medo e pelo sonho contra as proibições.

O artista não tem de dizer tudo. Pertence a cada um de nós olhar, interpretar e tirar conclusões, quanto mais não seja sentir que algo de novo se passou naqueles tempos da visita, um grande gosto ou um grande tédio...

Para mim, foi um imenso gosto que trouxe novidade.

 António Henriques

NOTA: Os 2,30m do vídeo seguinte são a minha visão da exposição, que não esgota a imensidão de sugestões que os olhos vão contemplando. AH

                                                                    ver em ecrã completo

A BOTA E A PERDIGOTA…

IMG_0572.jpg

Dia 17 de Junho. Dois anos depois (2017-2019) saí de casa (Vales) pelas 08h30 em direcção ao IC 8, Sertã, Pedrógão Pequeno (Senhora da Confiança), Pedrógão Grande, estrada 236-1, Castanheira de Pêra, regresso a Figueiró dos Vinhos, aldeia de Ana de Aviz, Ribeira de Alge, regresso a Figueiró, Venda da Gaita, Picha, Pampilhosa da Serra, Barragem de Santa Luzia, Minas da Panasqueira, aldeia de S. Francisco de Assis, Fundão, A 23, IC 8, Vales. A tempo de ver o meu Presidente falar na RTP, Prós e Contras, sobre o que eu acabava de ver “in loco”.
O que foi que eu vi?
Vilas a lutarem pela sobrevivência. Aldeias, lugares, lugarejos e sítios moribundos com homens e mulheres sem esperança à espera da morte… Uma natureza generosa construindo e oferecendo paisagens fabulosas de espaços e tempos que não são deste mundo…
Enfim, pessoas extraordinárias por todo o lado! Nas vilas, nas aldeias, nas minas, nas estradas…
Quatro notas de espanto e genuína admiração:
1- A primeira para lamentar a DESINFORMAÇÃO “TURÍSTICA” encontrada à entrada da aldeia de Ana de Aviz a enviar os transeuntes para a Ribeira de Alge onde supostamente se poderia almoçar. Lá, os restaurantes estão fechados há anos…
2- O pedido de boleia de um jovem solitário que, soube depois, ia do concelho de Penela até à Guarda (Trancoso) à boleia para participar no casamento de um amigo. Boleia concedida, foi companheiro de viagem imprevista até ao Fundão.
3- A visão fantasmagórica, surreal mesmo, das Minas da Panasqueira. Um ambiente que remete para o “faroeste” americano do século XIX.
4- Vendo o que vi e ouvindo falar os responsáveis sobre aquele território, só me vem à ideia aquela frase popular: “ A bota não bate com a perdigota.”
Ficam as imagens…

Aniversário

Eurico Grilo.JPG

Sabem quem faz anos?

É hoje o aniversário do Eurico P. Grilo, nascido em 18-06-60.      

Trabalha como jurista na Câmara Municipal de Lisboa na gestão de recursos humanos. Já o vimos nos jantares de Natal em Castelo Branco e contamos com ele nos almoços da capital.

PARABÉNS, caro amigo, por mais uma primavera, com votos de longa e feliz existência.

Contacto: tel. 919 095 987 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

PORQUÊ

VAMOS COMEÇAR

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D