Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Animus Semper

Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Portalegre e Castelo Branco

Aniversário

Ângelo Mateus.jpeg

Hoje, temos só um aniversariante!

É o Ângelo Dias Mateus, que nasceu em 13 de Novembro de 1950. Por isso, hoje é dia de festa para ele e aqui lhe damos os PARABÉNS por mais uma primavera. Votos de muita saúde e felicidade.

Quando apareces, Ângelo? O grupo faz-nos bem.

Contacto: tel. 937 601 184

Conviver é urgente

A conviver...

9-11-18.jpg

 

 

Desta vez, na última sexta-feira, eram nove a degustar o bacalhau. A chuva não incomodou muito e a Parreirinha estava quase cheia.

Assim nos vamos aproximando uns dos outros e alegrando os nossos dias. 

 

Alexandre.jpg

Como «conviver é urgente», não esperámos muitos dias. Logo no sábado, fomos até Carnaxide almoçar com o casal São e Alexandre, que há muito não víamos.

Tantas coisas que já fizemos juntos na vida... Tantas histórias a selar a nossa amizade... Mas, como a vida continua, estivemos também a alinhar os pormenores dos próximos encontros - sábado do Magusto no Restelo e, no final do mês, os dois dias de reflexão em Fátima com organização da UASP.

E pensam que ficámos por aqui? Não... No domingo, mais convívio com os primos José Andrade e Clara, a alegrar-nos com o neto Francisco nascido há poucos dias e ainda com as vitórias do Benfica e do Sporting. Nem nos lembrámos de tirar uma foto, mas vocês já nos conhecem!

Gosto muito de vos ver. Também gostava muito de ver outros muitos amigos, mas eu não posso deslocar-me mais vezes e eles também não aparecem nos locais que frequento em grupo... Não digo os nomes, mas eles sabem quem são...

Vá lá, amigos, ainda se podem inscrever para o Magusto do próximo sábado. É muito pouco conviver apenas à distância, mesmo que leiam todos estes escritos que aqui vão aparecendo...

AH

Tantos em festa!

São três os aniversariantes deste dia. A eles saudamos com amizade e damos PARABÉNS. É bom celebrar a vida, saborear a alegria de cada dia, agradecendo as graças do nosso Deus. Ele que continua sempre igual, quer estejas em dia sim quer em dia não, quer te sintas amado quer te sintas desprezado. Ele é sempre o Pai amigo...

Emanuel1.jpeg

 

- Faz hoje 52 anos o Sr. Cón. Emanuel Matos Silva, um homem muito importante nas estruturas da Diocese.É que ele tem muito que fazer!... Vejam as suas responsabilidades: Vigário Episcopal para o Clero, Vocações e Ministérios (incluindo a Vida Consagrada Religiosa e Laical), Diretor do Boletim Pastoral, Reitor do Seminário Diocesano e colaborador mais próximo na redação final dos documentos do Sínodo Diocesano. Secretário da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios.

Contacto: tel. 917 249 796

Armando Almeida.jpg

 

 

 E também vive a festa dos seus 58 anos o Armando Conceição Almeida, originário do Estreito e a viver em Alcains. É profissional da Covipneus, onde vos poderá atender com todo o gosto. 

O Armando atende pelo tel. 964 248 462.

 

P. João M. Ant. Lourenço.png

 

 

 

- Também hoje faz anos o P. João Maria Antunes Lourenço, nascido em 1967 e também cheio de trabalho e responsabilidades diocesanas. É Juiz do Tribunal Eclesiástico, Chanceler, Membro do Conselho Presbiteral; Capelão do Hospital Dr. José Maria Grande em Portalegre; Director do Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde e Pároco de S. Lourenço em Portalegre e da Ribeira de Nisa. 

Contacto: tel. 967 022 066

 

Aos três aniversariantes damos os PARABÉNS deste grupo e desejamos a cada um muita felicidade e a realização dos seus projectos de vida.

Aniversários

Ant. Raposo Preto.jpgA festa de aniversário hoje é do António Raposo Preto.

 

É de Castelo Branco (Alcains?) e vive em Setúbal, onde exerce o ofício de Solicitador e Agente de Execução. Este jovem faz hoje 35 anos e é um pai babado. Quando vier aos nossos encontros, saberemos mais.

PARABÉNS, amigo! Que sejas muito feliz, são os votos dos teus colegas.

Contacto: tel. 966 617 443

 

 

 

 

- Também hoje faz anos o P. Martinho Lopes Lourenço, nascido em 1936. 82 anos é uma boa idade. Tanta Martinho Lourenço.pngvida já vivida, amigo P. Martinho! Demos graças a Deus...

O P. Martinho vive na zona de Abrantes e a sua idade já não lhe permitem muito trabalho. Não sabemos neste momento como se ocupa. Mas do blogue Animus60 fui recolher um belo elogio, escrito pelo Silvério:

«Foi com muito gosto que uma vez ou outra reencontrei o Padre Martinho ao longo da vida e o testemunho que posso dar é o que se trata de um Homem Bom, de uma Humanidade extraordinária, de um Pastor muito zeloso dos seus rebanhos ( e já foram vários). Fui uma das pessoas que tive a sorte de, na tenra idade dos meus dez anos, ter conhecido este grande e incansável Obreiro das vinhas do Senhor, e quero aproveitar a animus para lhe fazer chegar esta enorme gratidão que nunca lhe conseguirei pagar.

Um grande abraço ao Padre Martinho Lopes Lourenço

Silvério»

Pois, então, PARABÉNS e que seja feliz por muitos anos.

Contacto: tel. 967 898 222

Padre Manuel Antunes

António, aí te envio um texto sobre o grande intelectual e pedagogo Padre Manuel Antunes, natural da Sertã. Trata-se apenas de um breve apontamento de um homem extraordinário que tão bem reflectiu sobre o nosso país, apontando caminhos de futuro. Como este ano o nosso grande e ansiado encontro se vai realizar na Sertã, não seria bom lembramos este jesuíta nascido na nossa diocese? Fala lá com o Mendeiros e a restante equipa sobre o assunto. Poderíamos envolver a Câmara e os sacerdotes da Sertã...Lúcio e Cardoso e outros...nesta comemoração dos 100 anos deste sábio sacerdote. Que dizeis?

Abraço-vos na Amizade e cordialidade de sempre. F. Beirão

Florentino1.jpeg

 

Tornar o homem mais humano

 

A poetisa Sophia de Mello Bryner, referindo-se à singular figura do p. Manuel Antunes, sublinhou que havia nele uma coisa extraordinária: “uma grande ligação entre a cultura e a vida”. E rematava: “ele nunca se revelou um homem escolar. Qualquer homem, com o grau de erudição e inteligência que ele tinha, corria sempre o perigo de esterilizar humanamente num pensamento abstrato e muito teórico”.

Mas afinal quem foi este jesuíta que se tornou num intelectual incontornável, como pensador e pedagogo, no panorama cultural português nas décadas de 60 e 70 do séc. XX?

Manuel Antunes nasceu em 03.11. 1918 na Sertã e faleceu em Lisboa a 18.01.1985, com 66 anos. Na sua juventude, ingressou na Companhia de Jesus, onde permaneceu ao longo da vida. As suas qualidades humanas e intelectuais foram-se revelando sobretudo, ao longo dos anos em que ensinou na Faculdade de Letras de Lisboa, como titular da cadeira da História da Cultura Clássica.

Conheci este homem nesta faculdade na década de 70. De estatura franzina, sempre muito apressado, vestido de preto, com a sua robusta pasta na mão, era vê-lo, na saída das aulas, à procura de um táxi. Além de professor universitário, a sua multifacetada cultura, foi-se revelando também como ensaísta, na direção da revista “ Brotéria” a qual, recorde-se, teve o seu início no antigo Colégio jesuíta de S. Fiel. Porém, a sua atividade intelectual foi muito mais longe. Grande enciclopedista e humanista que era, deixou-nos múltiplas reflexões sobre crítica literária, história, filosofia, política, educação, teologia, sociedade e espiritualidade. Não admira pois que o general Ramalho Eanes, quando Presidente da República, consultasse este seu amigo com regularidade, para com ele se aconselhar nas suas decisões de estadista. A admiração por este seu amigo concretizou-a Eanes, ao conceder-lhe o honorífico Colar da Ordem Militar de Santiago e Espada. Nesta solene cerimónia, o então Presidente da República justificou tal distinção, como sendo Manuel Antunes “ um dos melhores dos nossos maiores”

Recorde-se que as múltiplas reflexões que nos deixou, a respeito das diversas temáticas em que foi mestre, mereceram ser publicadas pela Gulbenkian, entre 2005-2012, em 14 volumes. Mas onde o p. M. Antunes exerceu a sua maior atividade pedagógica foi na Faculdade de Letras de Lisboa, onde se enchia o anfiteatro I, com alunos de vários cursos, em completo êxtase. Não se confinando apenas à cultura clássica, este pedagogo abordava ainda outras temáticas, relativas à vida política, religiosa e social do país. A este propósito, escutemos as palavras de um dos seus milhares de alunos que assim recorda o seu mestre. Luís Abreu, ao enumerar as principais características pedagógicas deste seu professor, destacou as seguintes: “usava uma linguagem clara, fluente, rigorosa, elegante e aberta à diversidade”. Deste modo, o jesuíta, ao caracterizar a problemática da nossa civilização, classificava-a como sendo “inquieta, atormentada, indutora de desassossego e moldada por imposições de automatismos do “homo mecanicus”. Para se saber viver dentro desta complexa e desumana cultura contemporânea, ensinava aos seus alunos que “hoje deveria prevalecer uma educação integral do homem, fazendo-o crescer como sujeito livre e responsável, participante na vida da comunidade, em harmoniosa relação”. Estes ensinamentos, proclamados nos tempos da ditadura salazarista, anos 60, certamente não deixava os seus alunos indiferentes, face ao que se passava no país, com a proibição do exercício das liberdades fundamentais e uma férrea censura. Este jesuíta porém, apesar destas limitações, sempre se mostrou um intelectual livre, empenhado e solidário, preocupado com a sociedade do seu tempo. De jeito muito discreto, foi inspirador dos novos tempos democráticos do seu país, com a sensatez de um sábio.

Por tudo isto, saudamos o Congresso Internacional dos 100 anos do nascimento desta figura maior da cultura portuguesa. Evento que será repartido pela Sertã, pela Gulbenkian e ainda por uma exposição itinerante. Louváveis iniciativas para chamar a atenção para os ensinamentos deste intelectual, e aprender com ele a urgência de “tornar o Homem mais Humano”. Finalmente, recomenda-se o seu livro “Repensar Portugal, 1979”, o qual, segundo Eanes, todos os políticos deveriam ler e pôr em prática. Nele se adverte, pensando no conturbado pós - 25 de abril de 74, que “é pela Moderação que o Novo se institucionaliza e generaliza.”

florentinobeirao@hotmail.com

Dois dias em reflexão

Acabei de enviar por email a nossa inscrição para o Fórum da UASP em Fátima, dias 24 e 25 de Novembro. Para reservar alojamento, hoje é o último dia.

Quem mais nos vai acompanhar?

    Fórum 2018         

 

O acesso à experiência da fé, hoje!

DSC02635.JPG

                                   

Domus Carmeli[1] - Fátima

 

24 e 25 de Novembro de 2018

 

Ficha de Inscrição[2]

 

(Por favor, preencha com letras maiúsculas)

 

Nome 1  ANTÓNIO HENRIQUES

Nome 2 MARIA ANTONIETA HENRIQUES

Localidade __AMORA__ Seminário/Instituto PORTALEGRE

 

E-mail adiashenriques@gmail.com  Telef. 917831904

Nova lista para o Magusto de 17/11

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DOS SEMINÁRIOS DA DIOCESE DE

Avatar nosso.PNGPORTALEGRE - CASTELO BRANCO

COMISSÃO ANTIGOS ALUNOS SPCB

(comasalpcb@gmail.com)

(asal.mail@sapo.pt)

 

Caríssimas Amigas e Amigos,

 

Hoje merecem uma especial saudação, as nossas caríssimas amigas, por uma razão mais do que óbvia. É que nenhum de nós, homens, tem o condão de adocicar as refeições com deliciosas sobremesas, como bolinhos, pudins, ou outras ao sabor de uma fértil imaginação culinária, como as nossas mulheres!

Assim sendo e porque assim é, cumpre-nos lançar um apelo “lancinante” ao seu bom gosto e ao seu brio de mestres de doçaria, conventual ou caseira, simplesmente, para que nos deliciem com as suas especialidades no próximo dia 17, pelo São Martinho, provando, assim, cabalmente, as suas qualidades neste ramo da ciência.

Pela parte do Mendeiros, pobre neste domínio, porque nunca teve esta disciplina no “curriculum”, ele promete passar pelos “Pastéis de Belém” e levar alguns exemplares.

Então, aqui fica o desafio às nossas mulheres: mostrem-nos os vossos dotes culinários!

Aos homens, deixamos uma sugestão: façam como o Mendeiros, passem pelos “Pastéis de Belém”!

 

Quanto a INCRIÇÕES, temos as seguintes 56:

 

Abílio Cruz Martins (2)

Abílio Delgado (2)

Restel3.jpg

Alberto Duque (2)

Alexandre Pires (2)

António Antunes Dias (2)

António Colaço (2)

António Henriques (2)

António Martins da Silva (2)

António Pequito Cravo (2)

António Pereira Ribeiro (1)

António Reis (1)

Armindo Luís (2)

Francisco Correia (2)

Francisco Cristóvão (2)

João Correia Neves (1)

João Pires Antunes (1)

João Torres Heitor (2)

Restel5.jpg

Joaquim Dias Nogueira (2)

Joaquim Mendeiros (2)

José Alves Dias (2)

José Andrade (2)

José Duque (2)

José da Luz Carvalho (2)

José Manteigas Martins (2)

José Maria Lopes (1)

José Ventura Domingos (1)

Manuel Carrilho Bugalho (2)

Manuel Inácio (2)

Manuel Pereira (2)

Manuel Pires Marques (2)

Manuel Pires Antunes (2)

TOTAL - 56

Contactos para Inscrição: E-mail da Comissão (comasalpcb@gmail.com); Blogue Animus Semper (asal.mail@sapo.pt); Página do Facebook da Comissão (Facebook Animus Semper Antigos Alunos); Telefones: Heitor- 967 421 096; Nogueira 919 482 371; Pires Antunes-919 414 179; Mendeiros – 969 015 114; A. Henriques -917 831 904; Martins da Silva -965 026 324.

 

Saudações Associativas

A Comissão, em 09 de novembro de 2018

Aniversários

PARABÉNS, AMIGOS!                                                                                                              

José Figueira.jpegVenho anunciar que o nosso colega, José Antunes Figueira, que aparece em quase todas as fotos dos almoços da Parreirinha, faz hoje 89 anos. Ainda ontem lá estivemos a comer um bacalhau à moda da casa. Ele anda a tratar da saúde, que na sua idade é assunto que passa para primeiro lugar. É o coração, são as pernas, é a boca... Mas ele vai resistindo!

A ele damos os nossos PARABÉNS, desejando para já boa recuperação. E depois, que ainda esteja connosco e sua família por muitos anos, sentindo as alegrias desta vida.

Eu sei que não tens computador, mas alguém te dirá deste nosso abraço de parabéns.

Contacto: tel. 968 076 207

 

Rui Brejo.jpg

 

Também hoje faz 47 anos o Rui Brejo, um meu vizinho sobreirense, natural dos Cunqueiros, jovem formador no IEFP a viver em Setúbal. É o que sabemos...

Por isso, aqui estamos a saudar-te, amigo, dar-te os PARABÉNS e desejar-te o melhor em saúde, felicidade e realização dos teus projectos.

Estás tão perto, Rui! Porque não vais ao Magusto no dia 17? É um colega do Ripanso que te pergunta!

Contacto: tel. 962836703

Palavra do Sr. Bispo

SAIR... PROPOR... CONFIAR!

1.jpg

 

Com as iniciativas que as instâncias próprias acharem por bem levar a cabo, vamos viver, de 11 a 18 deste mês de novembro, a Semana Nacional dos Seminários, sob o lema “Formar discípulos missionários”. Ao longo da história, sempre houve gente livre, disponível e pronta para continuar a obra de Jesus, com entusiasmo feliz e empenhado. Por isso mesmo, nunca faltou à evangelização a capacidade de contornar as dificuldades, os solavancos e os caprichos de cada tempo. Os tempos e as circunstâncias mudam, é verdade, mas a juventude também é fruto de cada tempo e das suas circunstâncias. Sempre houve e haverá gente com muita garra, com muita genica e generosa dedicação à primeira das principais causas do bem comum. Nem sempre, mas regra geral, o primeiro passo para abraçar o gosto pela evangelização dá-se no seio das famílias, dos movimentos, das instituições, das comunidades, dos serviços e dos grupos de ação cristã. Sim, é aí, onde existe uma intensa vida fraterna, onde há caminhos exigentes de espiritualidade e oração, de valorização da Palavra de Deus, de dinâmica sacramental, de experiências de serviço sobretudo aos pobres e de estímulo ao protagonismo juvenil, é aí que se encontram as grandes oportunidades para fazer um caminho mais forte de aproximação à fé e às necessidades da Igreja e do mundo. Se verdadeiramente acompanhados, muitos jovens direcionam melhor as antenas para captar as ondas do Espírito e as surpresas de Deus, interpretam com outra sabedoria os sinais dos tempos e os da própria vida e decidem marcar a diferença fazendo opções de maior exigência. A pastoral vocacional, de braço dado com a pastoral juvenil, é a alma de qualquer evangelização e de qualquer pastoral. As diferentes vocações eclesiais são expressões por meio das quais a vocação batismal se torna um verdadeiro sinal do Evangelho no seio das comunidades, são formas de seguir e testemunhar Jesus, fazem parte da natureza missionária da Igreja.
Quando existe a cultura da oração pessoal e comunitária, quando se vive verdadeiramente inserido na comunidade cristã ou noutros ambientes de fé, quando há uma pastoral vocacional de qualidade, mais facilmente alguém perceberá o Senhor a tocar-lhe no ombro e a segredar-lhe, com ternura, aos ouvidos do coração: - Escuta... Eu estou à porta e bato… vem... segue-Me! - Este convite de Jesus, se é dirigido a todos e a cada um dos batizados, sempre há, como sempre houve, quem o ouça e deseje viver de uma forma mais radical no ministério ordenado ou na vida consagrada. Os jovens, que são a paz em movimento, continuam a ser “revolucionários”, criativos e generosos como sempre o foram. E se são imprescindíveis para o rejuvenescimento dos dinamismos sociais, não o são menos para rejuvenescer o rosto belo da Igreja. Ora, como cireneus desta caminhada de formação dos que aceitam este desafio do Senhor, estão, de facto, os Seminários, não os edifícios, claro, embora também façam falta, mas as comunidades educativas. Nesta Semana dos Seminários, temos muito presente quem neles dedica a sua vida à formação dos alunos, os alunos que os frequentam, as suas famílias, os colaboradores, as comunidades paroquiais, e os benfeitores que rezam, estimulam e partilham os seus bens com os custos inerentes à formação de quem se prepara. 
Sem insinuar visões redutoras ou erradas sobre o ministério ordenado, todo o processo educativo para o sacerdócio ministerial procura acompanhar e ajudar os candidatos a que, em total liberdade, possam reconhecer o amor gratuito de Deus e formar o próprio coração à imagem do coração de Cristo, o Bom Pastor. Ele não veio para ser servido, mas para servir, comoveu-se diante das necessidades humanas, foi à procura das ovelhas perdidas, ofereceu a Sua vida por elas. Neste delicado processo formativo, processo que há de continuar presente em toda a vida dos sacerdotes quer na obediência apostólica profundamente inserida na unidade do presbitério e disponível para as necessidades e exigências do povo de Deus, quer na pobreza evangélica em vida simples e austera, quer em castidade no celibato como dom de si em Cristo e com Cristo à Sua Igreja (cf. PdV28-30), neste delicado processo formativo, dizia eu, há, pelo menos, quatro dimensões que interagem simultaneamente: a dimensão humana, que representa a base necessária e dinâmica de toda a vida sacerdotal; a dimensão espiritual, que contribui para caraterizar a qualidade do ministério sacerdotal; a dimensão intelectual, que oferece os necessários instrumentos para compreender os valores próprios do que é ser-se pastor; a dimensão pastoral, que habilita a um serviço eclesial responsável e profícuo (cf. RFIS89). Para que tudo resulte bem neste período transitório mas decisivo para o futuro, não é tempo de acentuar muito aquilo que, mais tarde, se virá a fazer, isto é, a tarefa evangelizadora, embora seja critério de qualidade a ter em conta que haja entusiasmo por ela como pessoas enamoradas por Cristo. Este tempo, o tempo do Seminário, deve ser sentido e vivido sobretudo como um tempo de sério e verdadeiro crescimento pessoal, a todos os níveis da formação integral, para, depois, enfrentar a vida e a missão com responsabilidade e protagonismo saudável e contagiante, gerando vida e esperança. O mundo é exigente, competitivo e complexo, exige humildade e saber dialogar com a cultura e a diversidade de forma competente e aberta, exige coerência de vida e tantas vezes saber perder para ganhar. Só «evangelizadores com espírito» testemunharão, na alegria do Evangelho, a santidade e a misericórdia de Deus.
Embora sabendo que “o principal agente da formação sacerdotal é a Santíssima Trindade, que plasma cada seminarista segundo o desígnio do Pai, seja através da presença de Cristo na sua Palavra, nos sacramentos e nos irmãos da comunidade, seja através da multiforme ação do Espírito Santo” (RFIS125), sabendo isso, não podemos terminar sem deixar uma palavra de muita gratidão e da maior estima para toda a comunidade académica, sim, mas sobretudo para a Equipa de Formadores de cada um dos Seminários de Portugal que colaboram e testemunham os valores próprios do ministério nesta delicada missão da formação sacerdotal.

Antonino Dias 
09-11-2018

Mais sobre mim

foto do autor

PORQUÊ

VAMOS COMEÇAR

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D