Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

ÚLTIMAS PALAVRAS

Da Consolação

Praia01.jpg

Está a terminar em beleza esta incursão pelo sol e pelo iodo da praia da Consolação.

Hoje, tivemos a surpresa de sermos visitados e acompanhados durante todo o dia pelos amigos José Andrade e Clara. Quiseram experimentar esta pasmaceira de estar na praia horas e horas a fio, sem fazer mais nada que conversar, apreciar o ambiente e sentir o bafejo deste sol, que hoje surgiu ardente para os iniciantes, mas a afagar docemente a pele em jeito de beijo amigo. E foram-se satisfeitos, um pouco mais consolados, sem lhes arder a pele por onde não passou qualquer protector solar.

Como não frequentam muito a zona, pudemos almoçar no Baleal e dar uma volta por Peniche nas horas duras do meio dia. À tarde, às quatro horas, voltámos ao castigo, ou, como se diz por aqui, “voltámos ao trabalho”! E não é que eles, mesmo não convencidos, disseram que gostaram muito do dia?

Praia0.jpg

 

O Zé é que achou que eu tinha mudado de continente, com mais cara de africano que de europeu… Que acham desta selfie? Ele terá razão?

 

Ainda tive ocasião de explicar às nossas visitas como se passa o tempo por ali.

As fotos seguintes, em galeria, ajudam a perceber melhor como é:

- As mulheres fazem renda, muita renda, ou conversam sem fim;

- Os homens e as mulheres lêem muito jornais, livros, revistas:

- Muita gente passa o tempo a combater o Alzheimer preenchendo o Sudoku, o que vem no jornal e os que se vendem por grosso em cadernos de trabalhos de casa (ou de praia!...);

- Outros apanham sol simplesmente e já é para eles um excelente trabalho, acompanhado da respiração do iodo, o que se afigura um trabalho ligeiro de que ninguém se queixa!

- Há pessoas que se barram com argila para potenciar os tratamentos do sol e do iodo;

- Até as avezinhas, os maçaricos, por aqui andam em grande azáfama, à procura do sustento.

- Também há pessoas, algumas vossas conhecidas (!!!), que aproveitam o tempo a telefonar para os amigos e amigas, pois até somos bafejados pela sorte de termos na praia (e pouco mais...) a rede da NOS (não me canso de dizer mal da minha operadora, que tão mal nos serviu nesta quinzena).

- Alguns até pescam no meio das gentes, talvez à procura do bom safio de Peniche...

Mas as pedras são duras, os assentos ferem o corpinho, como podem ver numa das fotos.

E tenho dito. Termina o retiro e agora vamos para o trabalho. São as aulas da Unisseixal como aluno e como professor, é este blogue que me faz sofrer quando vocês se esquecem da morada e nada enviam para cá, é o apoio à Antonieta lá em casa, eu sei lá…

Passem todos bem e vemo-nos por aí. Viva a Vida!

António Henriques