Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

TESTEMUNHO DE VIDA...

Meus amigos, por detrás daquilo que aqui é publicado há por vezes muita outra vida escondida. E desta vez, depois de receber vários sins ao pedido de amizade desta página no Facebook (já estamos em 149!...), a que se juntam por vezes palavras amigas «boa noite Sr. António Henriques. É com muito orgulho que recebo esta comunicação. O seminário foi um marco na minha vida. Bem hajam, Carlos!», entro em grande diálogo com o Adriano Mendes, que me deixa impressionado, sobretudo porque, quando se trata de testemunhos de vida, o melhor a fazer é respeitar, admirar e tirar daí lições pessoais que nos façam seres melhores. Reproduzo, tal e qual, as nossas mensagens. AH

AM.jpg

 

Ant. Henriques: - Bem-vindo, Adriano! Peço que envie para a lista da Comissão da nossa associação o seu email, n.º de telefone e data de nascimento, para comunicação rápida. Pode usar o Messenger. Abraços do Ant. Henriques

Adriano Mendes: - Caro amigo António Henriques, posso facultar o meu endereço de correio electrónico, bem como a data de nascimento mas, como é do conhecimento geral, excluí-me totalmente dos convívios dos ex-alunos. A minha grande ligação foi com o seminário de Beja, pois, como é do conhecimento dos "jovens" do meu tempo, apenas estive um ano no Gavião. A amizade que me liga a alguns elementos, pela proximidade regional e de contactos ocasionais, proporcionou um convívio quase constante, embora diferenciado. Não tenciono retomar a participação nos convívios de ex-alunos, demasiado clericais para o meu gosto, porquanto não me enquadro em rituais. A vida é feita de momentos e de sentimentos; os rituais são imposições sequenciais. Respeito todas as religiões, de igual modo respeito todos os fiéis e as suas crenças, pelo que olho para um judeu da mesma maneira que olho para um católico ou muçulmano. Interessa-me o que ele é e não quem ele é. Assim, não me parece que se justifique o envio dos elementos solicitados. Deixo-vos um abraço fraternal com os votos de uma semana abençoada, desejando-vos muita saúde, muita paz e muita luz.

 

EU.jpg

AH: - Meu caro, evidentemente eu não conheço o currículo da maior parte dos antigos alunos. Assim, respeito totalmente as tuas opções e não vamos enviar-te as nossas comunicações. Li coisas sobre ti que me disseram que és um tipo muito interessante, com missão de vida. Desejo-te pessoalmente muito sucesso e que gostes sempre muito de viver. Um abraço do António Henriques

 

AM: - Caro António Henriques, agradeço a tua compreensão. Por volta do ano 2007/2008 senti um vazio enorme sobre o motivo da minha existência e o budismo levou-me a reflectir sobre o que somos, de onde vimos e para onde vamos. O budismo não é religião, é uma filosofia que tem por base o respeito pela Natureza. Encontrei, pouco depois, na mesma linha, o Espiritismo, este considerado como doutrina filosófica de consequências morais. Dediquei-me profundamente ao seu estudo (hoje, neste campo, a minha biblioteca conta com 198 livros) em parceria com a minha esposa e decorridos três anos do início do estudo fomos, durante dois anos, monitores do CBE -Curso Básico de Espiritismo. Somos ambos trabalhadores espíritas e desde Janeiro de 2017 assumimos também a função de palestrante. No espiritismo encontrei o verdadeiro sentido da palavra fraternidade: dai de graça o que de graça recebeis. Nada é pago por quem quer que seja. Não é uma religião, embora a sua vertente moral se baseie no Evangelho. Apresentei nas minhas conferências temas variados: "Qual o maior mandamento?"; "O Universo e Deus"; "Preconceito/Intolerância"; e em Novembro apresentarei "A CASA MENTAL". A felicidade de cada um está em fazer o que gosta, em se doar de coração e eu tenho sido extremamente beneficiado pela Espiritualidade bondosa, pelo meu Guia e pelo meu Mentor (o Guia é o chamado Anjo da Guarda e o Mentor é o Espírito que nos utiliza em comunicações mediúnicas). Eis um breve apontamento do que é a minha vida e o que me move na felicidade que vivo a cada dia, pelo conhecimento, pelo muito que recebo em compensação do pouco que dou. Que o Mestre, nosso irmão maior esteja convosco, que vos abençoe. Para todos um abraço fraternal, muita saúde, paz e luz.

 

AH: - Estou tentado a publicar o teu testemunho no ANIMUS SEMPER, se me deres licença. É uma visão de vida que pode interessar...

 

AM: - Pela minha parte não há qualquer inconveniente. Todos temos liberdade de consciência, caracterizada pelo livre-arbítrio. Depois, o Espiritismo, não afirma que fora dele não há salvação, mas também não diz que fora da religião não há salvação. A sua máxima aplica-se a todos os povos e a todas as crenças: - "Fora da caridade não há salvação". Caridade na ajuda material, caridade na palavra, no gesto, na tolerância, ser compassivo e saber perdoar sem que deixe a mágoa instalada. Somos Espíritos em corpo de carne, somos TODOS filhos de DEUS, independentemente da fé, da raça e da qualidade social. Somos, pois, centelha divina numa caminhada que liga o átomo ao arcanjo, isto porque, como sabemos, nada existe que não tenha sido criado por Deus. O próprio Paulo escreve: Deus está em tudo, tudo está em Deus, mas o tudo não é Deus. Deus, inteligência suprema, causa primária de todas as coisas, tem as suas leis imutáveis, eternas. Sou feliz pelo que acredito, pela possibilidade de observar a Obra da Criação; estar grato por cada dia que me é dado e pelas oportunidades que nos são dadas a cada momento, mesmo quando a dor nos bate à porta. A nossa evolução espiritual tem apenas dois caminhos: ou evoluímos pelo amor ou pela dor. A escolha é nossa.

Meu caro, deixo-te um abraço. Muita saúde, muita paz.

 

NOTA FINAL: Espero que este testemunho nos motive a descobrir e/ou clarificar também o nosso caminho nesta vida. Admitem-se outros testemunhos. AH