Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

RESPIGOS 2

 ANOS DA MOCIDADE DO DOUTOR FREIRE (CONTINUAÇÃO)

 

(Apresentamos o segundo respigo do trabalho do Dias da Costa. Brevemente teremos notícias sobre este ex-aluno que escreveu sobre o Doutor Freire em HUMANITAS)

jgfreire.gif

3. O Seminário

 

Era naquele tempo em que a palavra Seminário ainda não tinha um múltiplo sentido, mas significava tão-somente — "estabelecimento onde recebem instrução os jovens que se destinam à carreira eclesiástica".

Era o Seminário um terreno a sementes. Sementes que se destinavam a dar muitos e bons frutos. Seu destino era ser reservatório seguro de valores ancestrais, repositório a fermento que vá levedar toda a massa. Dele pertencia sair o sal e a luz de que fala o Evangelho.

Ali a formação do clero se fazia — com toda a seriedade. Ε mais: — com devoção, tratando-se de uma obra de moldar homens para funções divinas... A sua finalidade era criar ali o "homem novo" de que fala S. Paulo — de carácter a toda a prova, e mais: revestido de Cristo.

Era o Seminário de um tempo de preparação insubstituível, funcionando como pedra de toque de ortodoxia, bem longe das ventanias dos tempos que após se sucederam e das vastas demissões e da hora dos desertores, como ao adiante se viu.

Era assim um campo destinado a reservas morais, a firmezas de dogmas e certezas sólidas, fixo como rochas inabaláveis. Descontentes, descrentes, más experiências—há-de sempre havê-los: e, por acinte do destino, virão estes, com frequência, a ser assoalhados como regras, quando, afinal, não se trata senão de escuras, obscuras excepções.

 

4. Questão de vocação

 

Quem poderia, então, vir a adivinhar o que iria acontecer àqueles jovens?

Desde cedo, os informavam do que naquele novo estado da sua vida se lhes pedia, se lhes exigia... E, um a um, se foram determinando, tomando seus próprios apontamentos mentais, no sentido de poder perscrutar, ouvido atento, a sua própria chamada...

Ε muito se exigia deles. Não se tratava de uma carreira como as outras. Não: era singular. Carecia-se de uma atitude de espírito que para muitos poderia constituir verdadeiro heroísmo. Avançar por ali — era não ser como seu pai e seus irmãos. Era abandonar tudo e seguir o Mestre. Ε isso, rigorosamente, embora o Mestre lhes fosse apresentado como sendo benigno e doce.

Poderiam, então, aventar-se muitas previsões, todas elas fortuitas, sobre o que o futuro reservava para cada um daqueles jovens. Boa parte não passaria dos primeiros anos. Outros arrastariam a sua formação até ao meio. Uma parte pequena chegaria ao fim. Ε ainda dos que chegaram ao fim, um desistiu: eu. Só 5 — de entre os 23 iniciais — chegaram a padres.

Muitos são os chamados, poucos são os escolhidos. (CONTINUA)

 

ANTÓNIO JOSÉ DIAS DA COSTA

 In HVMANITAS - Vol. L (1998) (Revista de Estudos Clássicos da Universidade de Coimbra)