Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

CRUZAMENTOS

pires da costa.jpg

MARVÃO EM POESIA 

 

Graças ao Pires da Costa, o nosso Encontro de Marvão ganhou foros de poesia. Obrigado, amigo!

E continua a desenvolver esses dons que imprimem às palavras novos sentidos. AH

 

                         CRUZAMENTOS 

 

Cruzam-se aldeias, vilas e cidades,

Cruzam-se planuras e fortalezas,

Cruzam-se novos e velhos sem idades

Cruzam-se as dúvidas e as certezas.

 

E lá nas muralhas que no alto estão

Ruelas estreitas, casario reluzente,

Vive a nobre e leal vila de Marvão,

Pronta para acolher toda a gente.

 

Cruzam-se dentro de nós as saudades,

Cruzam-se fortes emoções sem fim,

Cruzam-se os calores das amizades

Cruzam-se odores de rosas e jasmim.

 

Maio florido, com louvores a Maria,

Evocam-se euforias da mocidade.

Seremos caminheiros em romaria,

Transportando alforges da amizade.

 

Cruzam-se caminhos no pedrado

Cruzam-se planuras sem findar,

Cruzam-se graças por todo o lado

Cruzam-se canoras aves a voar.

 

Vinte de maio, Marvão altaneiro,

Cruzamentos múltiplos haverá.

Abraços serão gestos primeiros,

E o mais que à frente se verá.

 

Inebriados pela emoção incontida,

Olhares cruzados, sorrisos abertos.

Impulsos sem conta peso ou medida,

Sem lugar para gestos discretos.

 

Seja muita ou pouca a confusão,

Chegará o momento da verdade:

Forte abraço trocarei com o Leitão,

Cruzando setenta anos de amizade.

 

Caminheiros da saudade, em frente!

Aceitemos a vida como um presente,

Prestando todos singela homenagem

Aos que já convivem na outra margem.

 

 Pires da Costa  -    MAIO 2017