Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

ALMARAZ

ALMARAZ - um perigo constante

 

João P. Antunes.jpg

almaraz.jpg

Ninguém me tira da idéia que já estamos a ser afectados  por esta central nuclear situada aqui ao nosso lado e, pelos vestígios constatados, deixam-me a dúvida.

Nesta nossa Raia da Idanha, onde o ar ainda é puro e saudável, onde se vive com a certeza de que não há  poluição, começo a ficar de pé atrás.

Quando viajo por aquela charneca do concelho da Idanha e vejo  inúmeras árvores que em pouco tempo começam a ficar secas, ao lado de outras que vão vingando a sua sorte, interrogo-me a mim mesmo o que será isto !?

Os montados de azinheiras e sobreiros que se vêem ao longo da estrada e os eucaliptos das encostas, mostram à distância sinais da sua agonia. Algumas já secas, erguendo os seus galhos despidos de folhas, outras de ramagem amarelada sem que haja recuperação possível.

Árvores novas, outras  centenárias e moribundas, não havendo memória  de tal acontecimento.

Será dos ventos que vêm de Espanha? De lá, diz o ditado "nem bons ventos nem bons almar.jpgcasamentos".

Passo a fronteira, e vejo a Serra da Gata bem próxima de  Cilleros, Vegaviana e Moraleja. Grandes áreas de regadio que produzem  culturas diversas, hectares de milheirais, produtos hortícolas variados e é curioso observar grandes faixas  de plantas murchas.

Não é por falta de água, com certeza.

Falei com um almara.jpgagricultor no terreno e, no desenvolvimento da conversa, não deixou de mostrar a sua preocupação perante o que estava à vista e isto vem acontecendo com mais frequência de ano para ano, não deixando de atribuir à Central de Almaraz estas consequências. Quer dizer então que pode haver fugas !!  São os tais pequenos acidentes, que ficam sonegados às populações e nem convém que se suspeite.

Como ninguém garante nada, ficamos com a idéia que sim. As culturas já estarão a ser afectadas.

E as águas do rio Tejo também deixam dúvidas e preocupações, o peixe poderá estar contaminado...alguém terá de fiscalizar.

Um acidente nuclear, a ocorrer nesta região, seria  uma hecatombe para os dois países, o controle humano seria difícil, nem quero imaginar.

alm.jpg

É preciso termos a consciência do perigo que representa para toda a gente o "nuclear". As centrais nucleares europeias já estão a ser contestadas pelas populações e os governos redobram-se de atenção e hesitam em estender a vida útil destas centrais.

A radioactivivade não conhece fronteiras,  transmite-se pela água, pelo ar e os resíduos nucleares são um verdadeiro pesadelo para as gerações vindouras.

O abandono destes projectos seria a decisão mais acertada e que beneficiaria os países e as suas populações, desenvolvendo energias mais limpas e seguras, como as eólicas, solares, e das marés  que podem resolver as necessidades dos países.

E por nos sentirmos ameaçados na nossa tranquilidade, devemos clamar por uma vida mais segura.

 

João Antunes

NOTA: Como se vê, basta querer e aparecem boas colaborações! Obrigado aos colaboradores. AH