Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

À MODA DO FACEBOOK

FOTOGRAFIA GULOSA

Tigelas.jpg

António Henriques: Neste dia mundial da fotografia, quero mostrar uma foto especial: uma tigelada à moda da Beira, que pela primeira vez nasceu nesta casa pela mão da Antonieta, no seu bendito costume de experimentar receitas novas.
E não é que saiu mesmo bem? Já provámos a filha, mais pequenina, e estava au point! Até o meu amigo António Colaço vai querer levá-la para as suas abrantopias, mas esta não sai daqui, desculpa lá.

 

Tigelinhas.jpgAntónio Colaço Lamento desiludir-vos, ó dilectos António e Antonieta mas.....o barro tem mesmo de ser BARRO PURO E DURO E NÃO ESMALTADO!!!!
Repara bem nas tigelinhas que tanto tenho mostrado!!!!E depois, foi mesmo ao forno?!
É assim, doce é doce mas.....da Beira tem de ser à maneira!!!
O Manuel Cardoso de Proença pode dar uma ajuda!
De qualquer forma exalto as benditas mãos de Antonieta que tudo fazem para trazer seu António lambuçado!!!
Parabéns, outra vez!!!

 

António Henriques Olha que a mãe é mesmo do tal barro puro e duro, vermelho. A filha, coitadinha, foi um remedeio de última hora, para o resto da massa. E a receita é dos melhores chefes. Ficaste com inveja? Deixa lá, que um dia a Antonieta faz aqui um cozido ou outro petisco alentejano para acalmar os ânimos.

Agora acrescento: Será que o esmalte vai estragar o gosto? Com raios, isto estava tão saboroso na opinião dos muitos comensais, que eu atrevo-me a dizer “tigelada da Beira”, mesmo que falte qualquer coisa para ser «à moda da Beira»

 

Fernando Cardoso Leitão Miranda Eu vou celebrar o teu aniversário, fazendo as minhas tigeladas. O forno está preparado. As imagens seguem logo, bem como a história de como o doce aqui chegou. Um abraço de parabéns.

Um dia depois

Tigeladas1.png

Tigeladas.jpgProntas a sair... Estas caçoilas vieram das Moitas (Proença-a-Nova) com tigeladas feitas pela minha tia Piedade, com que me regalava sempre que lá me deslocava ou pela festa de São Gens ou pelo casamento de algum primo. Foi ela que deu a receita à minha mulher que as faz a contento dos comensais. Nas Moitas, esta maravilha saía do forno comunitário. Estas estão prontas a sair do meu forno. Continua, António, a festejar a Vida que o dia ainda não acabou. Aquele abraço amigo.

 

NOTA FINAL: As caçoilas do Leitão não são esmaltadas. Curvo-me à evidência.

                      - Quem quiser entrar na conversa que entre. E seja bem-vindo!