Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Animus Semper

A F E T O S

Duas notas: 1 - respeitando o seu autor, não escrevo AFECTOS, mas vontade não me falta!

                   2 - Gosto muito da produção literária do Joaquim Nogueira, até pela novidade e frescura dos seus textos. AH

              

A F E T O S – E M O Ç Õ E S

j.nogueira.jpg

 

No meu velhinho dicionário do Torrinha ( ainda dos tempos de liceu ), define-se afeto como “ amor; afeição; paixão”. Considero que, nesta definição, se engloba tudo o que é ou possa

ser afeto. Emoção define-se, naquele dicionário, como abalo moral (tout court).

Para AFETO prefiro a definição do dicionário online de português –“sentimento de carinho que se tem por alguém, ou por algum animal; amizade; o beijo é uma demonstração de afeto”. Julgo que esta definição é mais objetiva, uma vez que acaba por dar a definição dos termos empregados no dicionário de F. Torrinha, antes referidos.

Objetivamente, uma pessoa pode expressar, em abstrato, quais os seus afetos, como por exemplo, dizer "gosto de mulheres, gosto da minha família, gosto de animais, etc.", ou expressar o contrário de afeto, como, por exemplo, "desprezo pessoas com cabelo comprido, não gosto de gatos, etc". A repulsa é, também, um sentimento contrário ao afeto, como por exemplo, "repugnam-me homens com barba desalinhada"; o desprezo também é contrário ao afeto, por exemplo, "desprezo quem é corrupto".

Expressar carinho por alguma pessoa ou por algum animal ou coisa é uma demonstração de afeto e influencia diretamente a forma como pensamos sobre alguma coisa, animal ou pessoa.

É a partir do afeto que se demonstram emoções ou sentimentos.

Entrando no capítulo das emoções – como demonstração de afetos – há quatro emoções básicas: o medo, a raiva, a alegria e a tristeza. Em algum momento da nossa vida, todos tivemos medo, todos sentimos raiva, todos nos alegrámos e todos nos entristecemos.

O MEDO tem como função advertir-nos sobre a presença de um perigo, ou prevenir-nos de algo que nos possa causar dano.

A ALEGRIA cumpre a função de nos ajudar a criar amizades, a manifestar o nosso contentamento pelas vitórias e êxitos que alcançamos no dia a dia e, também, pelos factos que nos animam e fazem sentir melhor, como, por exemplo, o bom tempo.

A TRISTEZA evoca sempre algo que ocorreu no passado, sendo a sua função ajudar-nos a estar conscientes de uma coisa, situação ou pessoa que perdemos ou de quem sentimos falta.

A RAIVA tem como função zangar-nos com o que nos contraria ou nos está fazendo mal. Ajuda-nos à realização do que queremos ou assegura a necessidade de ameaça.

A raiva nem sempre é negativa, pois pode ajudar-nos a cumprir o que queremos. Na verdade, pode haver ocasiões em que ficamos com raiva de nós próprios e levar-nos a fazer esforços para obter o que pretendemos: um mau resultado numa prova, pode tornar-nos raivosos connosco próprios e levar a mais estudo e a obter melhores resultados.

beijo_400x400.gif.png

Vou fazer uma pequena reflexão sobre um dos afetos que nos causa mais emoção: O BEIJO. Este consiste no ato de encostar os lábios em alguém ou em algum animal ou coisa.

Sendo, como é, uma demonstração de afeto, existem vários tipos de beijos. Assim:

BEIJO NA MÃO – é uma prova de respeito e usa-se como cumprimento a uma autoridade religiosa ou a uma senhora mais idosa, sendo certo que, atualmente, é mais comum o beijo em cada uma das faces das senhoras ou pessoas jovens;

BEIJO NA ORELHA – significa desejo;

BEIJO NA TESTA – demonstra respeito e afeto por outra pessoa, por exemplo, entre pais e filhos, amigos, familiares, etc.

Beijo1.jpg

BEIJO NO NARIZ – beijo dos esquimós e é uma demonstração de carinho;

BEIJO NO OLHO – significa afeto, carinho e ternura;

BEIJO NO OMBRO – significa admiração, uma espécie de piropo;

BEIJO NO ROSTO – significa AMIZADE e demonstra carinho, sendo uma das mais antigas formas de beijo.

Era isto que me propunha expressar, pois, ao terminar 2016 e começar 2017, julgo ser oportuno que todos nós façamos um esforço para conviver com AFETOS que nos conduzam a EMOÇÕES, sempre saudáveis. 

Desejo a todos

FELIZ ANO DE 2017:  SAÚDE, PAZ, ALEGRIA DE VIVER E ESPERANÇA NO FUTURO.

Lisboa, 29-12-2016

Happy.jpg

J.NOGUEIRA.

 

NOTA FINAL - Neste final de ano, aqui ficam os afectos sinceros de quem todos os dias vela por animar este espaço, afectos dirigidos sobretudo aos que nos visitam:

Ontem:
90 Visitas
146 Visualizações
 
Neste mês:
1.713 - Visitas
60 - Média diária de visitas
2.564 - Visualizações
89 - Média diária de Visualizações
FELIZ ANO NOVO PARA TODOS!